Home
Capa


Capa | CIRURGIA PLÁSTICA - Dr. Kamran Abolmaali se destaca na Geórgia com seus procedimentos de cirurgia plástica e estética.
Wednesday, 13 November 2019 00:00


Morando há cerca de um ano na Geórgia, o médico cirurgião plástico iraniano Dr. Kamran Abolmaali fundou aqui a Clínica North Atlanta Plastic Surgery Group LLC. Altamente qualificado, com mais de 12 anos de treinamento nos principais programas de cirurgia plástica de Nova York e Londres, Dr. Abolmaali tem se destacado com toda a sua vasta experiência. Depois de deixar seu país de origem, estudou cirurgia na Inglaterra por quatro anos, antes de vir morar nos Estados Unidos, ingressando na Universidade de Harvard, para um cargo de pesquisador de pós-doutorado, durante dois anos. Foi nesse período (mais exatamente em 2008) que conheceu a que seria sua esposa hoje, a médica pediatra brasileira Karem Vivian, o que o fez decidir ficar nos Estados Unidos para continuar suas qualificações e trabalho.

Depois de mais cinco anos de treinamento em cirurgia geral e mais três especializados em cirurgia plástica em um programa altamente renomado em Nova York, Dr. Abolmaali e sua esposa Karem decidiram vir para Atlanta: “Amamos a cidade durante nossas viagens anteriores. Eu tenho alguns amigos muito bons aqui e sabíamos que havia uma comunidade brasileira e persa muito forte em Atlanta. Como Karem foi criada no Brasil, ela também adorou o clima aqui em Atlanta, o que tornou muito fácil tomar uma decisão”, lembra ele. O casal tem hoje um filho de 6 anos e estão muito felizes aqui. Inclusive, sua esposa, Dra. Karem, diz que encontrou uma comunidade muito ativa em Atlanta e que já está se programando para participar dos eventos comunitários e se engajar com o público brasileiro.

A Cia Brasil entrevistou o Dr. Kamran e sua esposa Karem, para conhecê-los mais, pessoal e profissionalmente, falar sobre cirurgias plásticas e apresentá-lo à nossa comunidade.


Cia Brasil: Doutor, o senhor tem um currículo profissional impressionante referente a procedimentos cirúrgicos. Diga-nos por que o senhor escolheu a cirurgia plástica como sua especialidade após fazer cirurgia geral.

Dr. Kamran Abolmaali: Eu adoro a ideia de fazer arte com as mãos e trazer felicidade e satisfação às pessoas que desejam alcançar o seu melhor. Acredito que a cirurgia plástica é a especialidade mais gratificante no campo cirúrgico. Trazer um sorriso de volta para o rosto de uma mãe, lutando para entrar novamente em forma depois de dar à luz aos seus filhos ou a alguém que teve um dedo amputado durante um acidente de trabalho e poder ajudar com uma cirurgia reconstrutiva, são exemplos que me deixam muito grato. Corrigir uma deformidade do nariz em uma adolescente que sofre bullying na escola ou reconstruir o seio de uma mulher que foi diagnosticada com câncer de mama são alguns outros exemplos do porquê adoro cirurgia plástica. É um tipo de arte. Como cirurgião plástico, crio algo toda vez que vou à sala de cirurgia, seja em bebês, até em idosos.


Cia Brasil: Atualmente, muitas pessoas falam em fazer cirurgias plásticas. O que as pessoas devem procurar ao escolher uma clínica de cirurgia plástica? Existe uma idade mínima ou máxima para se fazer um procedimento?

Dr. Kamran Abolmaali: A primeira coisa a se fazer é saber as credenciais e treinamentos realizados do profissional que irá realizar a cirurgia. As pessoas devem estar cientes de que muitos cirurgiões que oferecem uma variedade de cirurgias cosméticas não são cirurgiões plásticos e treinados em cirurgia reconstrutiva. O treinamento formal de cirurgia plástica envolve, pelo menos, de seis a oito anos de treinamento cirúrgico especializado, que é o período mais longo de treinamento no campo das cirurgias. E além das credenciais, é muito importante observar os resultados e as reviews do profissional. Eu sempre incentivo meus pacientes a ler sobre o procedimento online e reunir o máximo de informações possíveis para ter uma compreensão clara do que eles estão confortáveis se submeter. Eu, por exemplo, concluí cinco anos de cirurgia geral, seguidos por três anos de bolsa de estudos em cirurgia plástica e reconstrutiva em um programa de primeira linha em Nova York. Isso aconteceu depois que fiz quatro anos de treinamento cirúrgico na Inglaterra e dois anos de bolsa de pesquisa de pós-doutorado na Universidade de Harvard. Esses treinamentos foram muito importantes para minha qualificação.

Com relação à idade, a maioria das cirurgias cosméticas é oferecida a pacientes com pelo menos 18 anos de idade, para que possam entender o procedimento cirúrgico e suas consequências e assinar o termo de consentimento. Há também outros fatores como a maturidade esquelética, o que podem afetar o sucesso da cirurgia em pacientes mais jovens. Em contrapartida, para procedimento reconstrutivos, não há limite de idade. Se uma menina de 16 anos, por exemplo, tem uma deformidade nasal desfigurante e sofre bullying na escola, é recomendável corrigi-la antes dos 18 anos de idade. Outro exemplo são orelhas proeminentes, um assunto comum de bullying entre crianças; tendemos a consertar essa deformidade assim que a criança é afetada por ela. Pode haver algumas restrições de idade no uso de implantes diferentes, exemplo: implantes mamários de silicone não são aprovados para uso em mulheres jovens com menos de 21 anos de idade; no entanto, existem alternativas que podem ser usadas para essa faixa etária.




Cia Brasil: O senhor fundou aqui na Geórgia a Clínica North Atlanta Plastic Surgery Group. Pode nos falar um pouco sobre ela, e o porquê o senhor escolheu as cidades de Alpharetta e Marietta para instalá-la?

Dr. Kamran Abolmaali: Na clínica queremos que as pessoas se sintam confortáveis, reconhecidas e que tenham uma experiência e atenção profissional exemplar quando vierem nos visitar. Temos uma sala de operações de última geração, na qual realizo todo o espectro da cirurgia plástica e cosmética, como: cirurgia plástica no rosto, a correção no nariz, lifting facial/pescoço, cirurgia das pálpebras (blefaroplastia); procedimentos corporais, incluindo abdominoplastia, lipoaspiração, aumento de seios, lifting de coxa, braço, seios e nádegas (conhecido este como Brazilian Butt Lift). Também realizamos procedimentos com enxerto de gordura no rosto, mama e nádegas.

Também realizamos procedimentos reconstrutivos, como redução de mama para aliviar dores no pescoço e ombro; reconstrução da mama para pacientes com câncer nessa região; reconstrução de câncer de pele; e remoção de excesso de pele após perda maciça de peso. Além de tudo isso, temos procedimentos menos invasivos, como os injetáveis (Botox/ Dysport), os quais também podem ser usados no alívio de enxaqueca. Inclusive, uma de minhas paixões é a cirurgia que realizamos para liberar os nervos em pacientes que sofrem de enxaqueca aguda.

E como minha esposa é brasileira e ela gosta de ter contato com suas raízes, escolhemos Marietta e a região de Alpharetta/Johns Creek para instalar a nossa clínica e para ser o nosso lar. Gostamos da cidade por ser próspera e voltada para a família, onde podemos ver nosso filho crescer feliz.






Cia Brasil: As mulheres latinas são conhecidas por sempre procurarem o melhor possível quando o assunto é cirurgia plástica. Qual é o procedimento mais realizado em mulheres latinas?

Dr. Kamran Abolmaali: Como marido de uma brasileira, pude acompanhar mais de perto a cultura brasileira e latina. Percebo que elas são as mais preocupadas em cuidar de sua saúde, aparência e família. Além disso, sei o quanto é importante para elas aumentar suas belezas naturais, que é seu corpo harmonioso e cheio de curvas. Os procedimentos mais comuns em mulheres latinas são a lipoaspiração para aumentar as curvas, a cirurgia da abdominoplastia para desfazer os efeitos do parto e o aumento da mama para melhorar a forma dos seios. Eu chamo essa transformação de “the mommy makeover” (a reforma da mamãe), que é uma combinação de abdominoplastia ou lipoaspiração, junto a uma elevação ou aumento dos seios, muito procurado em mulheres latinas. Outros procedimentos como rinoplastia, blefaroplastia e enxerto de gordura nas nádegas também são muito populares entre minhas pacientes latinas.


Cia Brasil: Como cirurgião plástico, quais são as coisas mais importantes no seu trabalho?

Dr. Kamran Abolmaali: Na minha profissão são muito importantes experiência, compaixão, integridade e excelência. Esses são meus slogans na North Atlanta Plastic Surgery Group. Eu acho que essas quatro qualidades são essenciais para um bom cirurgião plástico. Sou amigo dos meus pacientes e sempre dou a eles minha opinião sincera. Acredito que a coisa mais importante entre um paciente e seu cirurgião plástico é confiança conquistada, algo que trabalho muito para me fazer merecedor e manter meus pacientes felizes.


Cia Brasil: Dr. Abolmaali, o senhor pode deixar uma mensagem para a comunidade brasileira de Atlanta?

Dr. Kamran Abolmaali: Acredito que os brasileiros em geral são pessoas muito calorosas e felizes, com uma beleza natural famosa pelo mundo inteiro, e sempre buscam melhorar sua aparência. Gostaria que a população brasileira de Atlanta soubesse que estou aqui para vocês. Sou brasileiro de coração, assimilei bem a cultura brasileira, e na minha casa as duas culturas (brasileira e persa) se dão muito bem. E para todos aqueles que querem melhorar sua imagem, estou à disposição para ouvir e ajudar a alcançar o seu melhor, e torná-los mais felizes!



Da Redação

Last Updated on Thursday, 14 November 2019 18:10
 
Capa | Sara Lea Guimarães
Tuesday, 15 October 2019 00:00


A Brasileira-Americana e Modelo Mirim se classifica para a etapa final do Concurso NAM - Nacional American Miss representando Atlanta.

A maioria das famílias de brasileiros que vive nos Estados Unidos procura aliar as duas culturas em seus lares. É importante que os pais falem de suas infâncias no Brasil e compartilhem sua rica cultura, língua e experiências com essa nova geração de brasileiros-americanos.

E neste mês em que se comemora o Dia das Crianças no Brasil, vamos falar de Sara Lea Guimarães, a pequena brasileira que realizou o sonho de participar de um concurso de Miss Mirim aqui nos Estados Unidos, e ao mesmo tempo vive com duas culturas diferentes em sua casa.

Sara tem 9 anos, é filha de Nelice e Ronaldo (que atualmente mora no Brasil), e irmã de Felipe, de 12 anos. Nelice mora nos Estados Unidos desde 1999, e teve seus filhos aqui. A família até chegou a morar no Brasil por cinco anos, mas retornou para cá há três, pois para a mãe aqui é a melhor opção para seus filhos em termos de segurança e educação: “Aqui tenho condições de proporcionar aos meus filhos coisas que no Brasil, infelizmente, não conseguiria. Aqui, meus filhos estudam piano e artes marciais, Sara faz dança e curso de modelo, eles têm tutores escolares, coisas que por cinco anos que moramos no Brasil não consegui dar aos meus filhos”, conta a mãe.

Na edição de junho da Cia Brasil Magazine, Sara apareceu em nossas páginas por se destacar pelo seu sonho de modelar. Em julho, ficou em 4º lugar no Pre Jr. - America Miss – Georgia, o que a credenciou para a final Nacional, que ocorrerá de 23 a 30 de novembro, no Marriot Anaheim Califórnia. “A etapa do concurso na Geórgia foi maravilhosa, muito bem organizado, foram três dias dentro de um hotel participando em diversas provas. Eram mais de 100 garotas, muitas delas bem preparadas, vindo de várias outras competições anteriores. Sara foi uma surpresa, pois ela não tinha a mesma experiencia, mas se saiu muito bem e se classificou entre as quatro primeiras colocadas para irem para o concurso nacional”, relembra Nelice.

Sara vive uma experiência muito comum aqui na América: ser filho de brasileiros e morar nos Estados Unidos; o que dá a possibilidade de viver duas culturas diferentes, aprender dois idiomas, uma oportunidade de agregar em sua vida uma diversidade cultural ímpar. A mãe Nelice diz que dentro de casa só se fala o português, que é uma forma dos filhos manterem o seu lado brasileiro, e “quando eles introduzem alguma palavrinha do inglês, são logos corrigidos por mim”, conta.

Apesar da pouca idade, Sara apresenta uma maturidade impressionante. Nelice conta que sua filha “tem certa independência, opinião própria e determinação; é focada e muito inteligente, cheia de planos, sonhos e projetos; assiste tutoriais de beleza e de modelos o tempo todo, e disso gera suas próprias ideias e se autodisciplina”. Além disso, Sara participa de Rubis (grupo de dança da escola), é embaixadora de estudantes na escola e é patrulheira estudantil (student embassador e student patrol). E, segundo a mãe, ela mesmo se envolveu e se classificou para tudo isto. Estuda piano, faz taekwondo, aulas de modelo e ainda faz um trabalho voluntário com crianças especiais e deficientes em jogos de softball e faz leitura para suas duas amigas especiais - Tiffany e Nataly - com dificuldade em leitura, como forma de devolver para sociedade.

Mas o que Sara gosta mesmo é de modelar. Para a final nacional, a menina está animada, se preparando muito, focada e determinada a fazer uma boa apresentação. O curso de modelo ela faz na Pearl School of Modeling, que também é uma agência de modelos. Houve algumas audições de trabalhos e Sara está sendo contratada para alguns. Ela modelou no último dia 27 setembro no Queendom Event e no dia 12 de outubro para diversos designers no African Film, & Fashion Festival Atlanta 2019. “Isso tem sido de um tremendo aprendizado para ela, e nós estamos muito gratas a Ms LadynamedPearl, que tanto está nos apoiando e preparando Sara nesse concurso”, fala Nelice.

Mas nem tudo são flores! O ritmo de trabalho de Nelice pra cuidar dos dois filhos é intenso, além de custoso financeiramente. A mãe até cogitou de não irem à final nacional, mas Sara a convenceu com o seguinte argumento após o concurso de julho: “Eu cheguei até aqui, passei por provas e juízes por três dias, desfilei, dancei, modelei, atuei como atriz na frente de muita gente; não quero parar agora. Eu ganhei minha viagem para Disneylândia como VIP. O final vai ser no Nacional, não aqui.” Assim, Nelice decidiu ir: “Vale a pena, é o momento dela, vai ficar na memória dela e vamos em frente”, torce a mãe.

Para esse concurso final, Nelice e Sara sabem que vai ser muito difícil, afinal, são as finalistas de todo os Estados Unidos. Mas o principal é a participação de Sara. São muitos detalhes, muitas roupas a serem trocadas, uma introdução pessoal com um discurso, entrevista pessoal com vários juízes. A menina-modelo vai participar nas seguintes modalidades: modelo fotográfico, modelo passarela, atriz e desfile formal. Serão sete dias de competição e treinos. Além disso, também terá um dia na Disneylândia como VIP, participará de um jantar de Thanksgiving com todas as candidatas e fará turismo na calçada da fama. “Ela já está feliz; é uma vencedora por ter chegado até aqui. São momentos que estarão na cabecinha dela para sempre e tenho certeza que o saldo vai ser bem positivo”, conta Nelice.

Para finalizar, Nelice fala que “são muitas as dificuldades de criar filhos sozinha, mas eu sou grata e realizada como mãe. Me tornei mãe com certa idade, e por isso meus filhos são prioridade absoluta na minha vida. Levo uma vida correta, com princípios e valores cristãos, eles me seguirão pelo meu exemplo, sou consciente que minha obrigação é formar um bom e honrado ser humano, incentivo os sonhos deles, agradeço a Deus por viver esses sonhos com eles. Eles vão sempre contar com o meu apoio.” E fecha agradecendo: “Muita grata à revista Cia Brasil Magazine, que nos apoiou desde a primeira etapa do concurso, e à: BR Auto Sales, Expeditions Travel, Minas Grill, Beef Grill, Pearl Schooll of Modeling e Master Pius Martial Arts. Muito obrigada!”




Da Redação
Fotos por Manoel Oliveira
Globo Photo & Video Production

Last Updated on Tuesday, 15 October 2019 18:29
 
Capa | SINTONIZE-SE EM ATLANTA COM A BANDA Labirinto Tropical
Monday, 16 September 2019 00:00


Conhecida como capital cultural do “New South”, o cenário musical de Atlanta é uma das primeiras coisas que vem à mente quando se pensa em toda a riqueza que a cidade tem a oferecer. Aqui é um lugar cheio de talentos incríveis, desde lendas do hip-hop e bandas de rock indie, punk, R&B e sua ramificação neo-soul, Blues, Country, música gospel, até a Atlanta Symphony Orchestra e Chorus, que já gravou mais de 100 álbuns e ganhou 27 prêmios GRAMMY®.

Com tanto espaço para a música, um grupo de amigos brasileiros e americanos realizaram um projeto antigo de formar a banda “Labirinto Tropical”. Há três meses oficializaram a banda e tem se destacado pelo seu talento musical. Idealizada por Rubens Villar, a banda possui um som peculiar, orgânico, uma mistura de reggae com “slow rock”, uma mescla de Tribalistas com Charlie Brown Jr, além das influências musicais de Atlanta e seus integrantes americanos. Além de Rubens (leadsinger - violão guia), é formada por Camila DeCastro (leadsinger), Vitor Lisboa (baterista), James “Bailey” Croom (guitarrista), Spencer Willis (violinista) e Dave Patrick Back (baixista), todos vivendo em Atlanta.


A HISTÓRIA


Rubens conheceu os irmãos Vitor Lisboa e Camila DeCastro há cerca de 15 anos. Todos envolvidos com o ramo musical, Rubens tinha facilidade de compor melodias e enviou um áudio para Camila mostrando uma música, dizendo que ficaria interessante com uma voz feminina junto. O timbre de voz meio rouca de Rubens encaixou bem com a voz de Camila, e juntando ao Vitor, que é baterista, veio a ideia de formar uma banda.

Ainda faltava mais instrumentistas na banda e quando a ideia é convicta, a natureza conspira a favor. O próximo integrante que surgiu foi o guitarrista Bailey, que ao se mudar para a porta da frente da moradia de Rubens, viu-o tocando violão na sacada e falou que iriam tocar juntos em breve. Rubens não deu tanta importância na hora, mas Bailey chamou para uma “jam session” e nunca mais pararam de tocar juntos.

Ao gravar seus primeiros singles na Tribo Records, o produtor musical Spencer Willis sugeriu acrescentar violino nas músicas. E ele, que é um violinista de alto nível, desde esse dia esteve junto no projeto musical. Ainda se juntou ao grupo o baixista Dave, que teve uma conexão de imediato com as músicas e com a banda.

O nome da banda surgiu de forma natural. Rubens estava numa festa e um rapaz estava entregando alguns samples da música dele em um CD, cujo nome era “Labyrinth”, que significa labirinto. A parte de fora do local era cercado de árvores e depois de algum tempo de conversas e trocas de ideias, saiu o nome Labirinto Tropical, devido ao cenário local e o estilo musical ter sua maior influência na música brasileira.

Não há cargos específicos na banda, a tarefa de cada um varia muito, já que, devido a outros compromissos, nem todos podem estar juntos em uma reunião ou um ensaio. Para atualizar o integrante ausente, recorre-se ao Facetime ou a uma ligação de voz. Normalmente, Rubens é quem vai colocando um a melodia com outra, e cada um vai acrescentando algo; depois de algumas horas, a música fica pronta. Nenhuma decisão é tomada sem a consulta de todos. As composições são de Rubens, mas quem dá os add-ons é Camila. Quando uma música é criada, passa no ouvido de todos antes de se concretizar. Não há uma liderança específica na banda, mas uma sinergia entre todos.



ANDAMENTO DA CARREIRA


São dois singles gravados: “Leve linda”, que foi uma letra baseada em um amor entre uma sereia e um humano, mas impossível pelas circunstâncias; e “É preciso ter coragem”, que fala sobre relações modernas, com pessoas sem coragem para tomar decisões, muitas das quais trariam benefícios a elas próprias. Os singles estão em plataformas digitais como iTunes, Apple Music, Spotify e outras.

A banda está trabalhando duro sobre 12 músicas a serem gravadas ainda, em parceria com a Tribo Records e com o profissional Rafael Pereira, que entrou de cabeça no projeto. O terceiro single, intitulado “Dona do amanhã”, está em produção na Tribo Records, junto com Tadeu Patolla, ex violão-guia e produtor do Charlie Brown Jr. Os planos são gravar todas as músicas com alguns produtores que mostraram interesse, e algum contrato com gravadora brasileira.

O show que oficializou a banda foi no Boteco, um bar com música ao vivo em Atlanta. A música de Labirinto Tropical foi muito bem recebida pelo público, um momento especial para todos da banda. O segundo show será em 28 de setembro no Donkeys Bar, na saída 6 da GA-400, em Sandy Springs, às 9 pm, no mesmo dia do aniversário de 30 anos de Rubens. Serão vendidas lindas camisetas da banda, para ajudar nas próximas metas do projeto.

O objetivo da banda desde o início foi e continua sendo o mesmo: a música. Fazer um bom som, que as pessoas gostem, que fique como um legado. “Em nome de toda a banda, agradeço: a Deus, por proporcionar as ondas de acontecimento na vida de todos; a todos que têm apoiado e mostrado um enorme carinho; a Jonatas Barbosa, que tem sido braço direito da banda; a Rafael Pereira e Spencer por cuidar das gravações como se fosse a música deles; a Luciana, Camila e Brazilian American Tees por tomarem conta das camisetas e blusas a serem vendidas; a Thiago DeCastro, marido de Camila, que tem apoiado e demonstrado carinho por dar total confiança à nossa banda; a Pedro Henrique, quem comanda as redes sociais; a Vini Lima, por apoiar em tudo que a banda precisa; a Giovanny Yuri, Júnior Meneguetta, Arjun, Bethi, por serem a coluna de apoio, se preocupando com todos; a Fotógrafa Ana Nobre - Photography, por ter feito um excelente trabalho nos Ensaios Fotográficos da banda oficial; à Cia Brasil Magazine, pelo apoio e realização desta matéria mostrando o nosso trabalho musical para nossa comunidade; a Tadeu Patolla, por estar ensinando a todos a serem melhores; e à comunidade brasileira, pelo enorme apoio!”, disse o idealizador da banda, Rubens Villar.


BIOGRAFIA DOS INTEGRANTES DA BANDA "LABIRINTO TROPICAL"




RUBENS VILLAR

29 anos, nascido em Mandaguari, Paraná, mas criado em Londrina. Veio para os Estados Unidos em 2003, junto com a mãe e irmã. Os pais e avós sempre foram envolvidos com a música, e assim Rubens vivia nesse meio praticamente 24 horas do dia. Aprendeu a tocar violão com sua mãe.

VITOR LISBOA

34 anos, baterista, Vitor se mudou para os Estados Unidos com sua família em janeiro de 2000. É o filho do meio, irmão da caçula Camila, vocalista da banda. Seu irmão mais velho é Paulo Lisboa, que também é músico. Hoje é casado com Elizabeth e tem dois filhos. Começou sua carreira musical tocando na igreja, fez aulas de bateria aqui em Atlanta com professores particulares.

JAMES “BAILEY” CROOM

O guitarrista de 21 anos de idade nasceu em Dunwoody, Geórgia. Começou a tocar na época da faculdade, como uma forma de fuga, enquanto pensava no que realmente queria fazer na vida. Foi seu avô quem comprou o seu primeiro violão.

DAVE PATRICK BACK

Nascido em Teaneck, Nova Jersey, e criado em Palm Bay, Flórida, o baixista tem 38 anos de idade. Vive no Metro Atlanta há 20 anos. Começou a tocar baixo em bandas de garagem na época do ensino médio escolar. Mais tarde, estudou composição musical, e performance Doublebass no Georgia Perimeter College, antes de receber um bacharelado em Estudos de Jazz pelo Georgia State University. Atualmente trabalha como baixista free lancer.

CAMILA L. SOUZA DECASTRO

Vocalista da banda, Camila é natural de Anápolis, Goiás, e chegou aos Estados Unidos há 20 anos, vindo com os pais e irmãos. É casada há cinco anos com Thiago DeCastro. Canta desde criança, pois sua família sempre foi envolvida com a música. Cantou por muito tempo em grupo de louvor na igreja e faz back vocal para o renomado cantor gospel Ismael Ramos.

SPENCER WILLIS

Sempre foi ligado à música desde criança, pois era fascinado por tudo que tinha cordas. Nascido em Atlanta e com 25 anos de idade atualmente, Spencer começou a fazer aulas de violino cedo, e tinha também a vontade de aprender a tocar a harpa. Toca violão e canta um pouco também. Trabalha para a Tribo Records, onde Labirinto Tropical está fazendo as gravações, e deu a ideia de incorporar o violino e a harpa nas músicas da banda, que o recebeu com confiança.



Da Redação
Fotos por Ana Nobre

Last Updated on Tuesday, 17 September 2019 20:19
 
Capa | VOLTA ÀS AULAS: A Prime Step celebra o início do ano escolar e a participação no programa do Georgia Pre-K.
Wednesday, 14 August 2019 00:00


A Escolinha Prime Step tem se destacado em Atlanta pela sua excelência no trabalho realizado. Fundada em 2016 pela brasileira Danila Sousa, seu maior propósito é o de ajudar as famílias brasileiras a terem uma escola toda dedicada para os nossos brasileirinhos. Apesar de todo o ensino da Prime Step ser realizado em inglês, as famílias brasileiras contam com um quadro de funcionários que falam português e assim ajudam a preservar a nossa língua.

A ideia surgiu em 2012 quando Danila estava finalizando a faculdade. Ela foi amadurecendo o projeto e se tornou um sono a ser realizado, e que se realizou depois de uma incansável luta devido à burocracia necessária. Ela veio para os Estados Unidos no ano 2000 em busca de uma vida melhor. Hoje, com 33 anos, já é formada em Early Childhood of Education, é casada com Wanderson Silva (45 anos) e tem dois filhos: Isaac e Benjamin Sousa. Além da faculdade realizada, a brasileira possui cursos técnicos e de primeiros socorros como CDA-Child Development Associate, CPR-Cardiopulmonary Resuscitation, AED-Automated External Defibrillator, bem como cursos de orientação e Health and Safety, transportação. Danila também é treinada para trabalhar com crianças especiais e com crianças com problemas comportamentais.

O nome Prime Step foi escolhido por Danila quando estava próxima de realizar seu sonho em trabalhar na área que queria e ama, com a ideia de que “para conquistar, é necessário dar os primeiros passos”, diz a brasileira.

Hoje, a escolinha conta com profissionais muito qualificados, tudo dentro dos requisitos obrigatórios do Ministério de Educação da Geórgia. “Na Prime Step, acreditamos que o educador deve ter conhecimento pedagógico, uma boa percepção de si mesmo como indivíduo e refletir esse conhecimento em sua metodologia de ensino, reconhecendo as crianças como protagonistas do próprio aprendizado”, ressalta Danila.

O currículo escolar da Prime Step segue o padrão de todos os Day Care dos Estados Unidos, em inglês, mas com o diferencial para a comunidade brasileira por oferecer atenção e informações em português, gerando conforto principalmente para os pais. Além disso, a escola oferece uma grande segurança física em suas instalações da escola, com câmeras de segurança e profissionais altamente qualificados para proteger a estrutura o tempo todo.

Todas as crianças que começam seus estudos na Prime Step passam por uma fase de adaptação: “Nós oferecemos um período de uma a três semanas de adaptação para todas as crianças e familiares para assimilarem a rotina da escola”, conta Danila. A escola conta com várias salas, pelas quais as crianças são separadas por idade. Há também atividades extras como aulas de Ballet e Jiu-jitsu. E Daniel reforça que “em breve ampliaremos nosso espaço para que possamos receber e servir mais famílias da nossa comunidade.”

Em março deste ano, a Prime Step foi contemplado pelo Georgia PreK (GA PreK), programa que consiste em oferecer ajuda de custo e guidelines de ensino que beneficia às famílias da Geórgia. Hoje, a Prime Step pode ajudar a 22 famílias a ter um custo menor em seus orçamentos, e um ensino de qualidade para suas crianças. O GA PreK é contemplado apenas para escolas que conseguem manter uma pontuação alta em termos curriculares, organização, higiene, entre outros requisitos governamentais. O programa é muito concorrido e requer uma constante manutenção por parte das escolas para estas não percam esta contemplação. O programa é válido para todas as crianças que têm 4 anos de idade completos ou que fazem 4 anos antes de 2 de setembro, independente do status imigratório.

O novo ano escolar de 2019/2020 já começou e a Prime Step, que passou meses se preparando, melhorando as salas, qualificando os professores, tudo para deixar sempre um ambiente acolhedor e propício para desenvolvimento das crianças. “Estamos muito animados e esperando o melhor a cada ano, buscando melhores instalações, atividades e algo que possa sempre marcar a vida dos pequenos”, ressalta a idealizadora do projeto.

Danila finaliza falando que tem sido muito gratificante todo o trabalho que tem realizado com a Prime Step, e que “em todos os dias são novas emoções e novos obstáculos, uma verdadeira aventura.” Realmente, um belo sonho de que pensou numa educação melhor para nossas crianças.




Da Redação
Fotos por Ana Nobre

Last Updated on Wednesday, 14 August 2019 20:17
 
Capa | Carlos Henrique Moojen de Abreu e Silva - Embaixador é novo Cônsul-Geral do Brasil em Atlanta
Thursday, 18 July 2019 00:00


E m dezembro de 2018, o Embaixador Carlos Henrique Moojen de Abreu e Silva assumiu o posto de Cônsul-Geral do Consulado Brasileiro em Atlanta. Ele é o sucessor da Embaixadora Maria Estela Pompeu Brasil Frota, que finalizou a sua gestão em 17 de dezembro de 2018

Natural do Rio de Janeiro, o Embaixador é um diplomata de carreira. Ele recebeu seu diploma em Ciências Econômicas e Políticas do Centro de Educação Universitária de Brasília (CEUB) em 1986. Também fez um curso de Política Comercial no GATT (General Agreement on Tariffs and Trade) em Genebra no mesmo ano. Formou-se no Instituto Rio Branco em 2002. De 1995 a 1997, foi consultor especial do Ministério da Fazenda. Em 2005, atuou como chefe da Divisão de Acesso a Mercados no Brasil e em 2011 como Diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Ministério das Relações Exteriores.

Antes de sua chegada em Atlanta, o Embaixador Carlos Henrique foi Cônsul-Geral do Brasil em Sydney, na Austrália. Seu trabalho em Atlanta é o quarto posto de Abreu nos Estados Unidos, mas pela primeira vez liderando um consulado aqui. Anteriormente, ele serviu no início dos anos 90 como vice-cônsul geral em São Francisco. Também serviu dois mandatos na Embaixada do Brasil em Washington, o último no final de 2013 depois de seis anos como ministro-conselheiro.

O Embaixador também exerceu dois mandatos distintos na Embaixada do Brasil em Buenos Aires, e um em La Paz, na Bolívia. Ele publicou artigos sobre questões cambiais na Argentina e os efeitos do aumento das taxas de juros dos Estados Unidos sobre o mundo. Ele se mudou para Atlanta acompanhado por sua esposa, Morgana Teixeira de Abreu e Silva, e a filha Isabela.

Para conhecer mais sobre o novo Cônsul-Geral e seu plano administrativo e de interação com a comunidade durante a sua gestão em Atlanta, confira a entrevista da Cia Brasil Magazine com o Embaixador Carlos Henrique.


CIA BRASIL: Embaixador, como é o processo para um diplomata brasileiro servir como Cônsul-Geral em uma das missões brasileiras no exterior?

EMBAIXADOR: Para ser Cônsul-Geral do Brasil, é preciso que o diplomata brasileiro tenha chegado ao topo da carreira, em outras palavras, seja um Ministro de Primeira Classe e, nessas condições, tenha nível de Embaixador. O Ministério das Relações Exteriores leva em consideração diversos fatores, como experiência e perfil dos candidatos. A chefia de uma missão diplomática ou consular é por período entre três e cinco anos.


CIA BRASIL: Quais as suas expectativas das relações Brasil e Estados Unidos ante o novo governo brasileiro?

EMBAIXADOR: As minhas expectativas são muito positivas sobre as relações bilaterais durante o novo governo brasileiro, que tem uma política externa sem viés ideológico e plenamente conectada com as reformas em curso no nosso país para promover o desenvolvimento. Nesse contexto, atribuí prioridade às relações com os Estados Unidos, daí ter o Presidente Jair Bolsonaro realizado sua primeira visita bilateral a Washington. A reunião com o Presidente Donald Trump, no dia 19 de março de 2019, teve pleno êxito, e os dois mandatários se comprometeram a construir uma parceria para a prosperidade. A visita já produziu resultados para o Brasil com vistas, por exemplo: à nossa participação no Trusted Traveler Global Entry Program dos Estados Unidos, mais conhecido como Global Entry; a desenvolvimento conjunto de satélite de monitoramento pela Agência Espacial Brasileira (EAB) e pela NASA; ao processo de acessão do Brasil à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), já iniciado graças ao fundamental apoio dos Estados Unidos; entre outros. Mecanismos bilaterais estão sendo criados ou relançados, em novas bases, visando criar empregos e reduzir barreiras ao comércio e investimentos, de promover a cooperação em energia, ciência, tecnologia e inovação, entre outros muitos pontos de uma agenda bilateral.


CIA BRASIL: Recentemente o governo brasileiro dispensou a obrigatoriedade de visto para os cidadãos americanos ingressarem no Brasil. Você acredita que haverá algum tipo de reciprocidade ou facilitação na emissão de vistos americanos para os brasileiros?

EMBAIXADOR: Desde o dia 17 de junho de 2019, cidadãos dos Estados Unidos, assim como da Austrália, Canadá e Japão, foram dispensados do visto de visita para viajar ao Brasil por 90 dias, passíveis de prorrogação por 90 dias adicionais. Os Estados Unidos já concordaram em tomar as medidas necessárias à inclusão do Brasil no Global Entry, visando facilitar procedimentos para cidadãos brasileiros quando da chegada aos Estados Unidos. Eu acredito que, tendo em vista o clima de aproximação entre os dois países, o Brasil poderá participar do Visa Waiver Program, quando as condições técnicas estiverem dadas. Os turistas, homens de negócios e estudantes brasileiros são muito bem-vindos nos Estados Unidos.


CIA BRASIL: Você escolheu ou apontou novas pessoas para trabalharem no Consulado em Atlanta durante a sua gestão?

EMBAIXADOR: Eu convidei o Ministro de Segunda Classe Luciano da Costa Pereira de Souza para ser meu segundo no Consulado-Geral. O Secretário Geovanny Cavalcante Leite já tinha sido removido para cá, mas me foi muito recomendado, assim como o Ministro Pereira de Souza. O Ministério das Relações Exteriores tem mecanismos de remoção periódicos para conselheiros, secretários e demais funcionários do quadro permanente do Serviço Exterior Brasileiro.


CIA BRASIL: No passado, o Consulado-Geral do Brasil em Atlanta abriu concursos para contratados locais periodicamente. Há planos de novas vagas para brasileiros contratados locais trabalharem no Consulado?

EMBAIXADOR: Os processos seletivos para a contratação de auxiliares locais dão-se quando surge a necessidade de substituições ou em momentos de ampliação do número de funcionários de um posto. Os contratados locais podem ser cidadãos do país onde o posto se encontra ou brasileiros ou cidadãos de outros países residentes com Green Card, no caso dos Estados Unidos. Os contratados locais são valorizados e desempenham papel importante em nossas embaixadas e consulados.


CIA BRASIL: Qual será o foco de sua gestão durante o seu período no Consulado de Atlanta com relação às comunidades brasileira na sua jurisdição?

EMBAIXADOR: A defesa dos interesses da comunidade brasileira na área da jurisdição do Consulado-Geral em Atlanta será a prioridade da minha administração. Para tanto, gostaria de poder contar com o apoio do Conselho de Cidadãos de Atlanta, da Câmara de Comércio Brasil-Sudoeste dos Estados Unidos e do Encontro de Brasileiros em Atlanta, entre outras entidades interessadas e representativas da nossa comunidade.


CIA BRASIL: Como será a interação do Consulado com as comunidades dos estados da jurisdição do Consulado além da Geórgia?

EMBAIXADOR: Além da Geórgia, os estados Alabama, Mississipi, South Carolina e Tennessee estão sob a jurisdição do Consulado-Geral em Atlanta. Pretendo visitar esses estados oficialmente e conhecer pessoalmente o maior número possível de cidadãos brasileiros nessas ocasiões. Temos Consulados Honorários nesses estados, à exceção do Mississipi, e cuja atuação gostaria de elogiar e prestigiar durante minha gestão. Aliás, vamos verificar se há condições para abrir um Consulado Honorário também no Mississipi. Vamos verificar também a possibilidade de organizar um maior número de consulados itinerantes, periodicamente. O atendimento presencial ao público dá-se por meio de agendamento eletrônico e em situações emergenciais. Estamos procurando promover o uso crescente do correio para passaporte, procuração, autenticação de cópia, atestado de residência e CPF, para facilitar a vida das pessoas.


CIA BRASIL: Quais são os seus planos para os setores de promoção comercial e cultural?

EMBAIXADOR: Os setores de promoção comercial e cultural serão fortalecidos. Estamos preparando um plano estratégico de atuação, em estreita coordenação com as unidades competentes do Ministério das Relações Exteriores e demais órgãos governamentais interessados. Acaba de ser assinado um convênio com a Câmara de Comércio Brasil-EUA do Sudoeste, entidade com cuja colaboração pretendemos realizar iniciativas periódicas voltadas para a promoção de oportunidades de comércio, investimento e turismo. Em breve, estaremos em condições de anunciar um primeiro conjunto de projetos. A Câmara de Comércio tem parceiros importantes, entre os quais governos municipais e estaduais, o Federal Reserve Bank of Atlanta e empresas brasileiras e estadunidenses.

A cultura, em diversos segmentos, pode ser um importante elemento de aproximação entre o Consulado-Geral em Atlanta e a comunidade brasileira. A valorização de artistas da comunidade, em variadas expressões, representar outra importante área da ação cultural do Consulado-Geral. Em nosso banco de dados procuramos atualizar informações sobre músicos, artistas plásticos, grupos de capoeira e chefs de cozinha, entre outros segmentos. No campo do audiovisual, é nossa intenção exibir ao menos um ciclo de semana brasileira por ano, organizado por temas e faixas etárias. Temos consciência de que, assim como a música, o cinema contribui para reforçar os laços dos brasileiros com sua cultura.


CIA BRASIL: Existe algum projeto que você realizou com sucesso em outras missões pela qual gostaria de trazer para a nossa comunidade de Atlanta?

EMBAIXADOR: Antes de vir para Atlanta, fui Cônsul-Geral do Brasil em Sydney, Austrália, por cinco anos. Guardo gratas lembranças dos meus dias e anos na Austrália, onde temos cerca de 80 mil brasileiros, muito dos quais são microempreendedores. Um projeto particularmente bem-sucedido foi a elaboração do manual “Como empreender na Austrália”, em parceria com a Embaixada do Brasil em Camberra. Tive uma grata surpresa em Atlanta quando a Presidente da Câmara de Comércio Brasil-EUA do Sudoeste, a Senhora Lúcia Jennings, propôs, em sua primeira reunião comigo, a elaboração do manual “Como empreender no Sudoeste dos Estados Unidos”, a exemplo de guias existentes em outras regiões deste país e em outros. O manual já está em fase adiantada de preparação e em breve estaremos em condições de fazer seu lançamento. Acredito que o manual poderá ajudar a comunidade brasileira a ser bem-sucedida nos Estados Unidos e aproximá-la ainda mais do Consulado-Geral do Brasil em Atlanta.

Durante minha gestão, daremos também continuidade a iniciativas com empresários brasileiros, as quais contribuem para fomentar o espírito empreendedor e capacitar tecnicamente nossa comunidade para ser ainda mais bem-sucedida no Sudoeste dos Estados Unidos. Gostaria muito de contar com a colaboração da Cia Brasil Magazine para divulgar esses projetos. Uma vez mais, entidades, como o Conselho de Cidadãos de Atlanta, o Encontro de Brasileiros em Atlanta (EBA) e a Câmara de Comercio Brasil-Sudoeste dos Estados Unidos, poderão apoiar nossas iniciativas.


CIA BRASIL: Embaixador, qual é a sua mensagem pessoal para a nossa comunidade brasileira na Geórgia?

EMBAIXADOR: Sou uma pessoa acessível e gostaria muito de poder estar sempre presente nas atividades da comunidade brasileira e fazer o possível para ajudar nossa comunidade a ser bem-sucedida. Minha esposa, Morgana, minha filha, Isabela, e eu estamos muito felizes em Atlanta. Somos uma família muito unida e gostamos imensamente de estar em contato com nossa comunidade brasileira e fazer novos amigos. É uma honra para mim ser o Cônsul-Geral do Brasil nesta cidade e poder servir à comunidade brasileira no Sudoeste dos Estados Unidos.


O Consulado-Geral do Brasil em Atlanta está localizado no endereço:
3500 Lenox Rd NE, One Alliance Center, Suite 800 - Atlanta, GA, 30326
Phone: (404) 949-2400

Para saber mais sobre os serviços oferecidos pelo Consulado brasileiro, acesse o site: atlanta.itamaraty.gov.br




Da Redação
Fotos por Ana Nobre

Last Updated on Friday, 19 July 2019 13:43
 
« StartPrev123NextEnd »

Page 1 of 3

Translate

Portuguese English Spanish