Home Fique por dentro Fique por dentro | A maior epidemia de gripe registrada nos últimos 13 anos
Fique por dentro | A maior epidemia de gripe registrada nos últimos 13 anos


Uma epidemia de gripe causou preocupação das autoridades americanas nos últimos três meses. Em pronunciamento no mês de fevereiro, a Diretora do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos), Anne Schuchat, alertou que o surto da gripe já se manifestou em 51 das 54 jurisdições americanas. Schuchat também advertiu sobre a crescente incidência de mortes de crianças, que já chegou a 63 casos esse ano resultados da gripe. “E a ameaça ainda não acabou. Podemos esperar um piora nos números de fatalidades antes do final da fase sazonal do vírus”, comentou Anne.

Todos os anos o mundo inteiro sofre com o vírus da gripe sazonal. Segundo o ultimo relato da Organização Mundial de Saúde, 650 mil pessoas morrem todos os anos resultado de sintomas causados pelo vírus da gripe H1N1. O aumento do número de mortes, que no relatório anterior mostrava entre 250 mil a 500 mil mortes resultadas do vírus da gripe causou alarme também junto ao CDC (Center for Disease Control, sediada em Atlanta), que começou a trabalhar em parceria com a Organização Mundial da Saúde para entender melhor e combater o H1N1.

Este ano, o CDC informou que a epidemia está mais letal por causa do vírus que está se espalhando rapidamente. 48 dos 50 estados americanos registraram recordes da doença, e número de mortes alarmantes. A mutação do vírus foi chamada de H3N2, um subtipo do vírus Influenza A que está dominante este ano. Como ele sofre mutações muito rápidas, a vacina deste ano está sendo menos eficiente contra ele. Mesmo assim, o CDC recomenda que todos se vacinem todos os anos com a dose atualizada da vacina.

A maior parte dos casos foi relatada em idosos maiores de 65 anos e entre 50 e 64 anos, e em crianças de 6 meses a 5 anos. Entre 70 e 80% das crianças que morreram, não tinham sido imunizadas com a vacina da gripe.

Os grupos de risco definidos pela Organização Mundial da Saúde e CDC são:

  • Idosos acima de 65 anos;
  • Crianças de 6 meses a 5 anos;
  • Gestantes em quaisquer períodos da gestação;
  • Pessoas com doenças crônicas como diabetes, doença cardíaca, doença pulmonar, doença renal ou doença neurológica;
  • Tem um sistema imunitário enfraquecido (defesa natural do organismo contra infecções e doenças);
  • Pessoas com obesidade mórbida;
  • Profissionais da área de saúde.

Parte externa do CDC′s Roybal campus em Atlanta, GA. Foto: James Gathany, Centers for Disease Control and Prevention.



Fique alerta aos sintomas da gripe! Pessoas infectadas com o vírus H1N1 ou a sua mutação H3N2, podem apresentar repentinamente alguns ou todos os sintomas abaixo:

  • Brusca alta de temperatura: 38°C ou mais;
  • Tosse seca;
  • Dores de garganta ou garganta inflamada;
  • Corrimento nasal ou nariz congestionado;
  • Espirros;
  • Calafrios;
  • Dores musculares;
  • Dor nos membros ou nas articulações;
  • Dores de cabeça;
  • Corpo extremamente cansado, exausto e com mal-estar;
  • Perda de apetite e náuseas;
  • Dificuldade em dormir;
  • Algumas pessoas relatam vômito, diarreia, e dores no estômago, mas estes sintomas são mais comuns em crianças pequenas.

É importante mencionar que nem todas as pessoas infectadas com o vírus da gripe apresentam febre. Se você apresentar os sintomas citados procure uma unidade médica de saúde.


Complicações da gripe


Geralmente os picos dos sintomas em um indivíduo que foi infectado pelo vírus da gripe ocorrem de 1 a 4 dias. As complicações podem incluir uma pneumonia bacteriana, infecção de ouvido e sinusite e o agravamento de outras condições existentes como doenças de congestão cardíaca, asma e diabetes.

Os idosos e qualquer pessoa com certas condições médicas crônicas são mais propensos a ter um caso grave de gripe, e também são mais propensos a desenvolver uma complicação grave, como uma infecção nas vias aéreas. A gripe precisa ser considerada uma doença séria e merece a nossa atenção, pois em alguns casos pode levar à morte.

Os médicos recomendam, após a sua visita ao centro de saúde e o diagnóstico da gripe, muito descanso, manter-se aquecido e beber muita água para evitar a desidratação.


Como prevenir a gripe e o seu alastramento


Nenhum grupo da população está completamente imune contra a gripe. A melhor maneira de se proteger da doença é a vacinação, que apresenta até 90% de eficácia e tem efeitos protetores com duração de 8 a 12 meses. A vacina não possui vírus vivos, ou seja, não causa gripe, e é recomendada anualmente para todas as pessoas com idade superior a seis meses de idade, que não apresentem alergia comprovada.

A vacina irá minimizar as chances de se contrair a doença, mas não eliminá-las por completo, no entanto será a sua principal arma para se proteger e combater o vírus nos casos de uma contaminação.

O CDC também promove medidas simples no dia a dia que podem diminuir o risco de contração e contaminação da gripe. Veja no quadro a seguir essas medidas.


Medidas para diminuir o risco de adquirir gripe

  • Evite contato com pessoas que apresentam os sintomas da gripe;
  • Cubra a boca e nariz quando tossir ou espirrar;
  • Lave as mãos frequentemente;
  • Use Hand Sanitizer (álcool gel);
  • Desinfete as superfícies que você estiver em constante contato, utensílios, roupas e roupas de cama daqueles que já apresentam sintomas da doença;
  • Ensine às crianças a lavar as mãos e evitar o contato com pessoas que apresentam sintomas;
  • Se você ou algum membro de sua família apresentar algum dos sintomas da gripe, vá ao medico e isole-se de outras pessoas para evitar a contaminação.
 

Translate

Portuguese English Spanish