Home Capa Capa | Formandos brasileiros de 2018
Capa | Formandos brasileiros de 2018
Friday, 15 June 2018 00:00


Morar e trabalhar nos Estados Unidos é o sonho dourado de muita gente. Noventa por cento das famílias de imigrantes que vieram para este país afirmam que o objetivo de sua vinda estava em proporcionar um futuro melhor e com mais oportunidades para os seus filhos.

As famílias de imigrantes chegam e logo cada membro da família tem o seu papel no processo de adaptação. As escolas públicas americanas oferecem educação gratuita e obrigatória para os ensinos fundamental, médio e de high school para todas as crianças do país, independente do status imigratórios delas ou de seus pais. Neste sentido, os Estados Unidos é amplamente democrático, pois independentemente do gênero, da opção religiosa, da etnia, da raça, das deficiências físicas, da capacidade de aprender ou do dom para o domínio de uma língua, o estudante conquista o direito de estudar gratuitamente, o que facilita a adaptação da família toda, com uma preocupação a menos na tarefa dos pais para proverem para seus filhos.

Crianças e adolescentes são obrigados a frequentarem a escola até a idade de 16 anos (ou até a finalização do segundo grau), na maioria dos estados americanos. De acordo com as estatísticas governamentais os estágios primário e secundário, o país abriga hoje aproximadamente 50 milhões de estudantes. A maioria está matriculada em escolas públicas. Os Estados Unidos possuem uma população relativamente educada. Estima-se que 99% da população americana seja alfabetizada. Em 2003, havia 76,6 milhões de estudantes frequentando a escola. Destes, 72% entre 12 e 17 anos de idade foram consideradas academicamente “no caminho” pela sua idade. 5,2 milhões (10,4%) dos estudantes frequentam escolas privadas. Entre a população adulta, mais de 85% da população americana possui um diploma de segundo grau, e 27% possui um diploma de ensino superior.

Para aqueles que já têm filhos adolescentes e estão nos Estados Unidos há mais de cinco anos, a experiência de ver várias fases escolares de seus filhos é gratificante. Já se tornaram experts na rotina escolar dos filhos e conhecem bem o sistema de educação americano. Quando chega o verão, as famílias que terminaram um ciclo escolar se orgulham de seus estudantes, principalmente aqueles que estão se graduando para a próxima etapa de vida acadêmica ou até mesmo finalizando os estudos com o College. Não há dinheiro no mundo que possa pagar essa felicidade. De repente, todas as batalhas, noites sem dormir ajudando os filhos com trabalhos escolares, longas horas de trabalho para pagar a faculdade, ou curso extracurricular, cada lágrima e suor derramado fazem sentido e começa uma nova etapa da jornada de uma família imigrante.

2018 foi um ano cheio de graduações de brasileiros na Geórgia. As famílias celebraram essa experiência única dos filhos de ter um diploma escolar americano. Para os que se finalizaram a high school, começa a jornada a caminho do ensino superior. Diferente do Brasil, nos Estados Unidos o histórico acadêmico do ensino médio e até no ensino fundamental afetam a admissão de um estudante em uma instituição americana. Além disso, são levadas em consideração as notas nas provas de proficiência – TOEFL (Test of English as a Second Language) e SAT (Scholastic Aptitude Test) – que funcionam como uma espécie de vestibular para os americanos, além do perfil do estudante.

Outro desafio é o suporte financeiro para um aluno imigrante que deseja frequentar a universidade. Aqui, o critério para bolsa de estudo na faculdade é baseado no mérito. Universidades estaduais cobram anuidades mais altas de alunos vindos de outros estados, ou alunos internacionais, já que se entende que alunos do mesmo estado que determinada instituição contribuem com o subsídio ao pagar impostos, e alunos de outros estados acabam por, da mesma forma, contribuir para seus respectivos estados e países. Mesmo com tantos desafios, mais e mais estudantes imigrantes têm concluído o ensino secundário (high school) e ingressam na universidade (College), principalmente aqueles que participam do projeto do DACA, trazendo uma nova prospectiva para a próxima geração de nossa comunidade.

A revista Cia Brasil Magazine parabeniza a todos os estudantes brasileiros que conquistaram o seu diploma em 2018, seja ele do Kindergarden, Elementary School, Middle School, High School ou College. Sabemos que a jornada é dura, mas a recompensa no final vale a pena. Vocês são o futuro da comunidade brasileira nos Estados Unidos! Parabéns!


INAJÁ LIMA
GEORGIA STATE UNIVERSITY, CURSO DE BACHARELADO
EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS COM ÊNFASE EM FINANÇAS


Inajá também recebeu “Magna Cum Laude” (termo em latim para indicar o nível de distinção com o qual um grau acadêmico foi obtido). Inajá foi a CFO (Chief Financial Officer) da organização ALPFA GSU (Association of Latin Professionals of America), organização que ajuda estudantes com habilidades de liderança e empoderamento feminino e de latinos. Inajá fará um estágio com a UPS neste verão, no departamento de Financial Reports and Plans.


HOMENAGEM A TODOS OS BRASILEIROS DA CLASS OF 2018 GRADUATION

Parabéns para todos os formandos de 2018 da nossa comunidade. A Cia Brasil Magazine deseja que a nova caminhada esteja sempre repleta de conquistas, vitorias e muito sucesso!



Da Redação

Last Updated on Friday, 15 June 2018 20:25
 

Translate

Portuguese English Spanish