Home Capa Capa | Teen Marietta 2018 está concorrendo ao Miss Latina Internacional-Georgia
Capa | Teen Marietta 2018 está concorrendo ao Miss Latina Internacional-Georgia
Friday, 17 August 2018 00:00


Foto do SnapChat na California.

A brasileira Isabella Rocha, de 16 anos, está representando a cidade de Marietta com o título Teen Marietta do Brasil no concurso Miss Latina Internacional-Georgia.

Com uma beleza incontestável e seus atuais 1,67m de altura (5’6”), Isabella nasceu nos Estados Unidos, mas é filha de pais brasileiros, os eparanaenses Eliane Celson. Ela tem três irmãos: Nathally, a mais velha, e os mais novos Kayo e Valentina. Todos moram na cidade de Marietta, no Condado de Cobb, e ela estuda na Wheeler High School, também em Marietta.

Aos sete anos Isabela participou do concurso National American Miss, mas nunca despertou o interesse de participar de outros concursos. Mas veio uma grande oportunidade, e Isabella foi indicada para participar do Miss Latina Internacional-Georgia, representando a cidade de Marietta, após ganhar o título de Miss Teen Marietta. O concurso Miss Latina Internacional-Georgia é um concurso de beleza para adolescentes entre 14 e 18 anos.

Conheça um pouco mais sobre a Isabella em entrevista para esta edição.


CB. Como você despertou o interesse de agências como a que você está atualmente?

Isabella: Em 2017, eu estava de férias na Califórnia e fiquei com um bronzeado muito bonito. Eu havia feito luzes no cabelo e decidi fazer uma selfie. Gostei muito da foto e postei no meu Snapchat. Todos os meus seguidores comentaram nesta foto com muitos elogios. Algumas pessoas compartilharam minha foto e, da noite para o dia, os compartilhamentos se alastraram pela internet. Uma amiga de uma amiga, que é modelo, viu a minha foto em entrou em contato comigo perguntando se eu estava interessada em ser modelo. Eu levei na brincadeira, mas peguei o contato da agência. Semanas depois, após eu me esquecer do assunto, recebi uma ligação da agência falando que estavam interessados em mim e gostariam de fazer uma entrevista. Aceitei o convite e foi assim que descobri esse mundo de modeling.


CB: Após ser descoberta pela agência de modelos, você logo iniciou trabalhos e entrou em concursos?

Isabella: Não. De início eu era um desastre. A agência disse que eu tinha “dois pés esquerdos”, porque eu não tinha nenhuma vocação para fazer passarela. A coach da agência não me dispensou porque ela disse que eu fotografava muito bem, e ela me sugeriu fazer um curso de modelo. Escolhi a escola para modelos chamada Shine Pageants & Modeling. Os cursos são compostos das fases Basic, Advanced, Photo Pose e Pro. Eu repeti a fase Basic.


CB: Você já pensou em desistir?

Isabela: No início fiquei um pouco chateada por repetir uma fase do curso, mas insisti e continuei. Apesar de tudo, eu sempre me diverti no curso e genuinamente gosto do ambiente e as pessoas envolvidas nesse mundo de modeling. Então, do nada comecei a me sobressair nos resultados de toda a escola de modelos. Até eu mesma fiquei impressionada com o quanto eu estava melhorando. Graduei-me não somente no topo da minha classe, mas número 1 em toda a escola, que é bem grande, com muitos alunos. Logo comecei a ser indicada para fashion shows, e também busquei outros eventos para participar.


CB: Qual foi o seu primeiro fashion show?

Isabella: Eu participei de inúmeros eventos de fashion, mas os maiores foram o Georgia Peach Fashion Week, o The Walk Fashion Show e o Miss Ga South.


CB: Existe diferença entre fashion show e concursos de beleza?

Isabela: Sim, existe muita diferença entre eles. Por exemplo: para você ter sucesso como modelo de passarela, geralmente as meninas mais altas são as escolhidas para esse trabalho. Não é regra, mas quase todas as top models têm uma altura acima de 1,73m (5’8”). Os pageants são mais como os concursos de miss, e você será julgada em outras qualidades e habilidades, a sua altura não é muito relevante para os julgadores.


CB: Como você lida com o seu emocional após os concursos os quais você não ganhou?

Isabella: Muitas vezes quando você tenta entrar em uma competição ou passa meses correndo em uma categoria e não ganha o concurso, sempre dá aquela decepção e fico chateada. Mas esse sentimento não dura muito, porque apesar de tudo eu realmente me divirto no processo de um concurso. Genuinamente aproveito ao máximo as amizades novas que faço e tento sempre me auto avaliar para poder corrigir algumas coisas que poderiam ser melhores em minha performance. Mas o sentimento de desistir nunca durou mais do que algumas horas e logo passo para o meu próximo projeto.


Isabella na Escola de modelo.

CB: O que você gosta mais de fazer neste mundo de moda e beleza?

Isabella: Eu gosto muito da modelagem de passarela. Mas como eu não tenho uma altura em meu favor para fazer runway, eu comecei a investir em pageants (concursos de miss etc.) para obter uma experiência maior. Depois, gostaria de fazer “print”, que são trabalhos para agências de photo shooting para marcas famosas, comerciais, entre outros trabalhos que usam a indústria impressa para fazer marketing. Algumas modelos de passarela, que como eu são de estatura mais baixa, fizeram um trabalho de modelo para a indústria de print, e foram descobertas por grandes agências de top models e conseguiram ingressar nessa área de modelagem.


CB: Quais são os seus planos para o seu futuro?

Isabella: Na minha adolescência eu participei de várias atividades que eu gostaria de seguir carreira. Uma vez ingressei no time de track (corrida) da escola, mas perdi o interesse e abandonei. Com modelo, me empenhei muito para poder chegar onde estou hoje. Apesar de estar decidida a aproveitar todas as oportunidades que o mundo da moda possa me oferecer, eu tenho planos de ingressar em Business School para o meu college. Um diploma de Business irá me ajudar em qualquer área de trabalho que eu venha a possuir, seja como modelo ou não.


SHINE Pageants & Modeling.



CB: O que você aconselha para outras meninas brasileiras que gostariam de ser modelo?

Isabella: Eu gosto muito desse mundo de glamour que é ser modelo. Mas alerto que modelar não é para todo mundo. É preciso um apoio da família e muito aconselhamento para poderem lidar com o estresse e sentimentos de depressão que sofremos quando somos rejeitadas, ou não ganhamos um concurso. É necessária uma vida de disciplina para poder conciliar escola, cursos de modelo, competições e preparação para eventos. Cuidar da saúde e boa forma também são muito importantes. Mas nada sem exagero de exercícios. Faça sempre o que a deixa feliz e realizada, nunca faça para agradar os outros.


Ser modelo teve e tem tido um impacto muito positivo na minha vida. Eu aprendi a ser mais confiante, e trabalhar mais a minha autoestima. Deixei de ser tímida e trabalhei o meu lado extrovertido. Todos que me perguntam, eu sempre respondo que vale a pena.

E convido a todos da nossa comunidade a entrarem no Facebook do concurso e votarem para eu representar a cidade de Marietta. Para votar é muito fácil: basta acessar a página do Facebook da Miss Latina Internacional-Georgia e clicar em like. Você pode também compartilhar o post com todos os seus contatos.


SHINE Pageants & Modeling.




Da Redação
Fotos: SHINE Pageants & Modeling.
Thaynara Pope

Last Updated on Friday, 17 August 2018 15:12
 

Translate

Portuguese English Spanish