Home Capa Capa | Carlos Henrique Moojen de Abreu e Silva - Embaixador é novo Cônsul-Geral do Brasil em Atlanta
Capa | Carlos Henrique Moojen de Abreu e Silva - Embaixador é novo Cônsul-Geral do Brasil em Atlanta
Thursday, 18 July 2019 00:00


E m dezembro de 2018, o Embaixador Carlos Henrique Moojen de Abreu e Silva assumiu o posto de Cônsul-Geral do Consulado Brasileiro em Atlanta. Ele é o sucessor da Embaixadora Maria Estela Pompeu Brasil Frota, que finalizou a sua gestão em 17 de dezembro de 2018

Natural do Rio de Janeiro, o Embaixador é um diplomata de carreira. Ele recebeu seu diploma em Ciências Econômicas e Políticas do Centro de Educação Universitária de Brasília (CEUB) em 1986. Também fez um curso de Política Comercial no GATT (General Agreement on Tariffs and Trade) em Genebra no mesmo ano. Formou-se no Instituto Rio Branco em 2002. De 1995 a 1997, foi consultor especial do Ministério da Fazenda. Em 2005, atuou como chefe da Divisão de Acesso a Mercados no Brasil e em 2011 como Diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Ministério das Relações Exteriores.

Antes de sua chegada em Atlanta, o Embaixador Carlos Henrique foi Cônsul-Geral do Brasil em Sydney, na Austrália. Seu trabalho em Atlanta é o quarto posto de Abreu nos Estados Unidos, mas pela primeira vez liderando um consulado aqui. Anteriormente, ele serviu no início dos anos 90 como vice-cônsul geral em São Francisco. Também serviu dois mandatos na Embaixada do Brasil em Washington, o último no final de 2013 depois de seis anos como ministro-conselheiro.

O Embaixador também exerceu dois mandatos distintos na Embaixada do Brasil em Buenos Aires, e um em La Paz, na Bolívia. Ele publicou artigos sobre questões cambiais na Argentina e os efeitos do aumento das taxas de juros dos Estados Unidos sobre o mundo. Ele se mudou para Atlanta acompanhado por sua esposa, Morgana Teixeira de Abreu e Silva, e a filha Isabela.

Para conhecer mais sobre o novo Cônsul-Geral e seu plano administrativo e de interação com a comunidade durante a sua gestão em Atlanta, confira a entrevista da Cia Brasil Magazine com o Embaixador Carlos Henrique.


CIA BRASIL: Embaixador, como é o processo para um diplomata brasileiro servir como Cônsul-Geral em uma das missões brasileiras no exterior?

EMBAIXADOR: Para ser Cônsul-Geral do Brasil, é preciso que o diplomata brasileiro tenha chegado ao topo da carreira, em outras palavras, seja um Ministro de Primeira Classe e, nessas condições, tenha nível de Embaixador. O Ministério das Relações Exteriores leva em consideração diversos fatores, como experiência e perfil dos candidatos. A chefia de uma missão diplomática ou consular é por período entre três e cinco anos.


CIA BRASIL: Quais as suas expectativas das relações Brasil e Estados Unidos ante o novo governo brasileiro?

EMBAIXADOR: As minhas expectativas são muito positivas sobre as relações bilaterais durante o novo governo brasileiro, que tem uma política externa sem viés ideológico e plenamente conectada com as reformas em curso no nosso país para promover o desenvolvimento. Nesse contexto, atribuí prioridade às relações com os Estados Unidos, daí ter o Presidente Jair Bolsonaro realizado sua primeira visita bilateral a Washington. A reunião com o Presidente Donald Trump, no dia 19 de março de 2019, teve pleno êxito, e os dois mandatários se comprometeram a construir uma parceria para a prosperidade. A visita já produziu resultados para o Brasil com vistas, por exemplo: à nossa participação no Trusted Traveler Global Entry Program dos Estados Unidos, mais conhecido como Global Entry; a desenvolvimento conjunto de satélite de monitoramento pela Agência Espacial Brasileira (EAB) e pela NASA; ao processo de acessão do Brasil à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), já iniciado graças ao fundamental apoio dos Estados Unidos; entre outros. Mecanismos bilaterais estão sendo criados ou relançados, em novas bases, visando criar empregos e reduzir barreiras ao comércio e investimentos, de promover a cooperação em energia, ciência, tecnologia e inovação, entre outros muitos pontos de uma agenda bilateral.


CIA BRASIL: Recentemente o governo brasileiro dispensou a obrigatoriedade de visto para os cidadãos americanos ingressarem no Brasil. Você acredita que haverá algum tipo de reciprocidade ou facilitação na emissão de vistos americanos para os brasileiros?

EMBAIXADOR: Desde o dia 17 de junho de 2019, cidadãos dos Estados Unidos, assim como da Austrália, Canadá e Japão, foram dispensados do visto de visita para viajar ao Brasil por 90 dias, passíveis de prorrogação por 90 dias adicionais. Os Estados Unidos já concordaram em tomar as medidas necessárias à inclusão do Brasil no Global Entry, visando facilitar procedimentos para cidadãos brasileiros quando da chegada aos Estados Unidos. Eu acredito que, tendo em vista o clima de aproximação entre os dois países, o Brasil poderá participar do Visa Waiver Program, quando as condições técnicas estiverem dadas. Os turistas, homens de negócios e estudantes brasileiros são muito bem-vindos nos Estados Unidos.


CIA BRASIL: Você escolheu ou apontou novas pessoas para trabalharem no Consulado em Atlanta durante a sua gestão?

EMBAIXADOR: Eu convidei o Ministro de Segunda Classe Luciano da Costa Pereira de Souza para ser meu segundo no Consulado-Geral. O Secretário Geovanny Cavalcante Leite já tinha sido removido para cá, mas me foi muito recomendado, assim como o Ministro Pereira de Souza. O Ministério das Relações Exteriores tem mecanismos de remoção periódicos para conselheiros, secretários e demais funcionários do quadro permanente do Serviço Exterior Brasileiro.


CIA BRASIL: No passado, o Consulado-Geral do Brasil em Atlanta abriu concursos para contratados locais periodicamente. Há planos de novas vagas para brasileiros contratados locais trabalharem no Consulado?

EMBAIXADOR: Os processos seletivos para a contratação de auxiliares locais dão-se quando surge a necessidade de substituições ou em momentos de ampliação do número de funcionários de um posto. Os contratados locais podem ser cidadãos do país onde o posto se encontra ou brasileiros ou cidadãos de outros países residentes com Green Card, no caso dos Estados Unidos. Os contratados locais são valorizados e desempenham papel importante em nossas embaixadas e consulados.


CIA BRASIL: Qual será o foco de sua gestão durante o seu período no Consulado de Atlanta com relação às comunidades brasileira na sua jurisdição?

EMBAIXADOR: A defesa dos interesses da comunidade brasileira na área da jurisdição do Consulado-Geral em Atlanta será a prioridade da minha administração. Para tanto, gostaria de poder contar com o apoio do Conselho de Cidadãos de Atlanta, da Câmara de Comércio Brasil-Sudoeste dos Estados Unidos e do Encontro de Brasileiros em Atlanta, entre outras entidades interessadas e representativas da nossa comunidade.


CIA BRASIL: Como será a interação do Consulado com as comunidades dos estados da jurisdição do Consulado além da Geórgia?

EMBAIXADOR: Além da Geórgia, os estados Alabama, Mississipi, South Carolina e Tennessee estão sob a jurisdição do Consulado-Geral em Atlanta. Pretendo visitar esses estados oficialmente e conhecer pessoalmente o maior número possível de cidadãos brasileiros nessas ocasiões. Temos Consulados Honorários nesses estados, à exceção do Mississipi, e cuja atuação gostaria de elogiar e prestigiar durante minha gestão. Aliás, vamos verificar se há condições para abrir um Consulado Honorário também no Mississipi. Vamos verificar também a possibilidade de organizar um maior número de consulados itinerantes, periodicamente. O atendimento presencial ao público dá-se por meio de agendamento eletrônico e em situações emergenciais. Estamos procurando promover o uso crescente do correio para passaporte, procuração, autenticação de cópia, atestado de residência e CPF, para facilitar a vida das pessoas.


CIA BRASIL: Quais são os seus planos para os setores de promoção comercial e cultural?

EMBAIXADOR: Os setores de promoção comercial e cultural serão fortalecidos. Estamos preparando um plano estratégico de atuação, em estreita coordenação com as unidades competentes do Ministério das Relações Exteriores e demais órgãos governamentais interessados. Acaba de ser assinado um convênio com a Câmara de Comércio Brasil-EUA do Sudoeste, entidade com cuja colaboração pretendemos realizar iniciativas periódicas voltadas para a promoção de oportunidades de comércio, investimento e turismo. Em breve, estaremos em condições de anunciar um primeiro conjunto de projetos. A Câmara de Comércio tem parceiros importantes, entre os quais governos municipais e estaduais, o Federal Reserve Bank of Atlanta e empresas brasileiras e estadunidenses.

A cultura, em diversos segmentos, pode ser um importante elemento de aproximação entre o Consulado-Geral em Atlanta e a comunidade brasileira. A valorização de artistas da comunidade, em variadas expressões, representar outra importante área da ação cultural do Consulado-Geral. Em nosso banco de dados procuramos atualizar informações sobre músicos, artistas plásticos, grupos de capoeira e chefs de cozinha, entre outros segmentos. No campo do audiovisual, é nossa intenção exibir ao menos um ciclo de semana brasileira por ano, organizado por temas e faixas etárias. Temos consciência de que, assim como a música, o cinema contribui para reforçar os laços dos brasileiros com sua cultura.


CIA BRASIL: Existe algum projeto que você realizou com sucesso em outras missões pela qual gostaria de trazer para a nossa comunidade de Atlanta?

EMBAIXADOR: Antes de vir para Atlanta, fui Cônsul-Geral do Brasil em Sydney, Austrália, por cinco anos. Guardo gratas lembranças dos meus dias e anos na Austrália, onde temos cerca de 80 mil brasileiros, muito dos quais são microempreendedores. Um projeto particularmente bem-sucedido foi a elaboração do manual “Como empreender na Austrália”, em parceria com a Embaixada do Brasil em Camberra. Tive uma grata surpresa em Atlanta quando a Presidente da Câmara de Comércio Brasil-EUA do Sudoeste, a Senhora Lúcia Jennings, propôs, em sua primeira reunião comigo, a elaboração do manual “Como empreender no Sudoeste dos Estados Unidos”, a exemplo de guias existentes em outras regiões deste país e em outros. O manual já está em fase adiantada de preparação e em breve estaremos em condições de fazer seu lançamento. Acredito que o manual poderá ajudar a comunidade brasileira a ser bem-sucedida nos Estados Unidos e aproximá-la ainda mais do Consulado-Geral do Brasil em Atlanta.

Durante minha gestão, daremos também continuidade a iniciativas com empresários brasileiros, as quais contribuem para fomentar o espírito empreendedor e capacitar tecnicamente nossa comunidade para ser ainda mais bem-sucedida no Sudoeste dos Estados Unidos. Gostaria muito de contar com a colaboração da Cia Brasil Magazine para divulgar esses projetos. Uma vez mais, entidades, como o Conselho de Cidadãos de Atlanta, o Encontro de Brasileiros em Atlanta (EBA) e a Câmara de Comercio Brasil-Sudoeste dos Estados Unidos, poderão apoiar nossas iniciativas.


CIA BRASIL: Embaixador, qual é a sua mensagem pessoal para a nossa comunidade brasileira na Geórgia?

EMBAIXADOR: Sou uma pessoa acessível e gostaria muito de poder estar sempre presente nas atividades da comunidade brasileira e fazer o possível para ajudar nossa comunidade a ser bem-sucedida. Minha esposa, Morgana, minha filha, Isabela, e eu estamos muito felizes em Atlanta. Somos uma família muito unida e gostamos imensamente de estar em contato com nossa comunidade brasileira e fazer novos amigos. É uma honra para mim ser o Cônsul-Geral do Brasil nesta cidade e poder servir à comunidade brasileira no Sudoeste dos Estados Unidos.


O Consulado-Geral do Brasil em Atlanta está localizado no endereço:
3500 Lenox Rd NE, One Alliance Center, Suite 800 - Atlanta, GA, 30326
Phone: (404) 949-2400

Para saber mais sobre os serviços oferecidos pelo Consulado brasileiro, acesse o site: atlanta.itamaraty.gov.br




Da Redação
Fotos por Ana Nobre

Last Updated on Friday, 19 July 2019 13:43
 

Translate

Portuguese English Spanish