Home Saúde
Saúde | Os efeitos dos cigarros eletrônicos em adolescentes
Monday, 22 April 2019 00:00


Moda imitada por jovens do mundo inteiro, os cigarros eletrônicos são consumidos e em grande número nos Estados Unidos. Segundo o Centro de Prevenção de Doenças americano, seu consumo já superou os cigarros tradicionais entre estudantes de High School.

Os cigarros eletrônicos são vaporizadores eletrônicos ou sistemas eletrônicos de fornecimento de nicotina e outros produtos químicos, operados por bateria. Eles podem se assemelhar a cigarros de tabaco tradicionais, como os charutos e cachimbos, ou até itens do dia a dia, como canetas ou cartões de memória USB. Independentemente do seu design e aparência, esses dispositivos geralmente operam de maneira semelhante e são feitos de componentes similares. Mais de 460 diferentes marcas de cigarros eletrônicos estão atualmente no mercado e alguns disponíveis no mercado possuem substância que afeta células pulmonares.

E-cigarros, como são chamados, são populares e a forma mais comumente utilizada de tabaco entre os jovens nos Estados Unidos. Sua fácil disponibilidade, propagandas atraentes, vários sabores e líquidos, e a crença de que eles são mais seguros que os cigarros ajudaram a torná-los atraentes para essa faixa etária.

A intenção inicial dos cigarros eletrônicos era de ajudar adultos como um caminho para abandonar o fumo. Mas o hábito se alastrou rapidamente entre adolescentes e isso causou preocupação de várias instituições da área da saúde nos Estados Unidos. Um novo relatório encomendado pelo Congresso e patrocinado pela Food and Drug Administration dos Estados Unidos foi realizado pelas Academias Nacionais de Ciências, Engenharia e Medicina, que fez uma análise abrangente das evidências sobre os efeitos dos cigarros eletrônicos sobre a saúde humana.

A equipe de pesquisadores mostra que a nicotina, em qualquer forma, danifica os pulmões. Também mostra que mesmo sem nicotina, os cigarros eletrônicos podem afetar a saúde pulmonar. Entretanto, outras evidências sugerem que, embora os cigarros eletrônicos não estejam isentos de riscos à saúde, eles provavelmente serão menos prejudiciais do que os cigarros convencionais. Os cigarros eletrônicos contêm menor número e níveis mais baixos de substâncias tóxicas do que os cigarros convencionais, e o uso de cigarros eletrônicos pode ajudar os adultos que fumam cigarros convencionais a pararem de fumar. No entanto, seus efeitos na saúde a longo prazo ainda não estão claros. Entre os jovens - que usam e-cigarros em taxas mais altas do que os adultos - há evidências substanciais de que o uso de cigarros eletrônicos aumenta o risco de transição para fumar cigarros convencionais.

Segundo o relatório, em algumas circunstâncias, como o uso por adolescentes e jovens adultos não fumantes, seus efeitos adversos claramente merecem preocupação. Em outros casos, como quando fumantes adultos os usam para parar de fumar, eles oferecem uma oportunidade para reduzir as doenças relacionadas ao fumo.


E-cigarros e os efeitos para a saúde e desenvolvimento dos adolescentes


A adolescência é fundamental para o desenvolvimento do cérebro, que continua na idade adulta jovem. Os jovens que usam produtos de nicotina em qualquer forma, incluindo os cigarros eletrônicos, são os únicos que correm risco de efeitos duradouros. Como a nicotina afeta o desenvolvimento do sistema de recompensa do cérebro, o uso continuado de desse produto pode não apenas levar à dependência da nicotina, mas também tornar outras drogas, como a cocaína e a metanfetamina, mais prazerosas para o cérebro em desenvolvimento de um adolescente.

A nicotina também afeta o desenvolvimento de circuitos cerebrais que controlam a atenção e a aprendizagem. Outros riscos incluem transtornos do humor e problemas permanentes com o controle dos impulsos, sendo uma incapacidade de combater um desejo ou impulso que pode prejudicar a si mesmo ou aos outros.

Os cigarros eletrônicos contem nicotina nos e-líquidos, que é prontamente absorvida dos pulmões para a corrente sanguínea quando uma pessoa os usa. Ao entrar no sangue, a nicotina estimula as glândulas suprarrenais a liberar o hormônio epinefrina (adrenalina). A epinefrina estimula o sistema nervoso central e aumenta a pressão sanguínea, a respiração e a frequência cardíaca. Assim como a maioria das substâncias que causam dependência, a nicotina ativa os circuitos de recompensa do cérebro e também aumenta os níveis de um mensageiro químico no cérebro chamado dopamina, que reforça os comportamentos recompensadores. O prazer causado pela interação da nicotina com o circuito de recompensa motiva algumas pessoas a usar a nicotina de novo e de novo, apesar dos riscos à sua saúde e bem-estar.

Nos Estados Unidos, o órgão que regula a venda de e-cigarros é o FDA (Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos). Seu papel é proteger a saúde de jovens americanos. Crianças menores de idade não podem mais comprar cigarros eletrônicos em lojas ou on-line, em cumprimento da regulamentação governamental de cigarros eletrônicos de 2016. A FDA agora regula a fabricação, importação, embalagem, rotulagem, publicidade, promoção, venda e distribuição de cigarros eletrônicos.



Da Redação

Last Updated on Monday, 22 April 2019 14:22
 
« StartPrev12345678910NextEnd »

Page 2 of 11

Translate

Portuguese English Spanish