Home Espaço do empreendedor
Espaço do empreendedor | LAO RIMANELLI: 23 ANOS DE EXPERIÊNCIA E EXCELÊNCIA NO MERCADO IMOBILIÁRIO
Thursday, 18 February 2021 00:00


Para o nosso Espaço do Empreendedor desta edição trouxemos a história da brasileira Lao Rimanelli, que nos conta sobre a sua trajetória nos Estados Unidos e sua vida profissional.

Lao trabalha no setor imobiliário em Atlanta como Associate Broker pela Atlanta Communities Real Estate Brokerage. O título de Associate Broker é a sua mais recente conquista em sua vida profissional.

Vamos conhecer mais a nosso empreendedora do mês.


A JORNADA PARA A AMÉRICA


Lao Rimanelli nasceu em Rio Branco, capital do estado do Acre. Ao completar 14 anos de idade, sua família se mudou e ela cresceu vivendo em várias cidades do Brasil. Em seus últimos 14 anos antes de sair do Brasil viveu em Cuiabá, Mato Grosso. Lá ela frequentou a faculdade, licenciando-se no curso de Letras, mas nunca quis ser professora. Um dia surgiu a oportunidade de vir para a América, para estudar inglês. Mesmo sendo muito jovem e sozinha, Lao escolheu uma cidade grande: Buffalo, NY. Nesta cidade Lao se dedicou somente ao estudo e não trabalhou. De lá, a brasileira decidiu se mudar para Boston, onde obteve seu primeiro trabalho.

Em Boston Lao fez muitas amizades e logo se adaptou ao ritmo americano. Seu primeiro trabalho foi em um restaurante italiano, como garçonete. A brasileira conta que nunca sentiu falta do Brasil, mas sim de seus amigos e família. Ela nunca pensou em retornar, pois veio decidida a ficar na terra do Tio Sam.

Lao viveu muitos anos em Boston, foi lá que também nasceu o seu filho Fabrizio. Em 1991, ainda em Boston, Lao conheceu o seu futuro esposo, um ítalo-americano chamado Michelle Rimanelli, casando-se em 1996 com ele. Infelizmente, Lao perdeu o seu esposo aqui em Atlanta, em janeiro de 2019, após mais de vinte anos de casados. “Foi ótimo ter vivido ao lado de uma pessoa tão especial. Meu esposo era extremamente educado e culto. Ele me ensinou muitas coisas que estarão comigo para sempre. As pessoas que me conhecem sabem o quanto ele faz falta, deixando um vácuo muito grande na minha vida”, conta Lao sobre o esposo. Hoje ela se dedica ao trabalho e tem sempre o apoio de seu filho e nora, além dos amigos que a ajudaram nos momentos mais difíceis.


TRABALHO E VIDA PROFISSIONAL


Quando ainda morava em Boston, Lao, que na época estava com 37 anos, decidiu continuar investindo em uma carreira profissional. A brasileira pensava em ir para uma universidade e buscar uma profissão na área social, mas uma amiga brasileira muito querida que conheceu quando morou em Buffalo, NY, a ajudou a buscar algo mais acessível. Sua amiga era corretora e, apesar de nunca ter considerado essa profissão, Lao ficou bastante interessada. As opções eram acarretar uma grande dívida para cursar uma nova faculdade e viver com dificuldades financeiras, ou fazer o curso de corretora e ter uma vida financeira decente, se não melhor que muitos americanos. Ela optou pela segunda, que lhe permitiria trabalhar e estar com seu filho. Lao logo se tornou corretora e já começou a trabalhar.

“Foi uma das minhas melhores escolhas! As coisas para mim simplesmente aconteceram sem problemas e rapidamente. Eu fui uma das primeiras, se não a primeira, corretora brasileira em Boston. Fui convidada pelo Broker do meu marido, que já era corretor, para fazer o curso. Na época o meu inglês não era suficiente, mas a necessidade era urgente, porque havia muitos brasileiros buscando esse serviço e nenhum corretor local falava português. Fiz o curso, passei, peguei minha licença e já comecei a trabalhar quase no mesmo dia”, lembra Lao.

“Não me lembro da primeira casa que vendi porque foram várias de uma só vez. Lembro da minha primeira listagem de uma casa para vender, pois quando fiz o meu curso para tirar minha licença, deram muita ênfase em fazer uma boa listagem do imóvel. A realidade é que o comprador precisa muito mais de ajuda do que o vendedor do imóvel, principalmente hoje com toda a tecnologia disponível”, diz a brasileira, que se identifica muito com o comprador de “primeira vez”, pois ela reconhece que adquirir um imóvel é uma das maiores conquistas de uma pessoa nos Estados Unidos, e talvez o maior investimento na vida dessa pessoa. “Sempre tive um bom relacionamento com meus colegas de trabalho, tenho amigos da primeira imobiliária que trabalhei e sempre estamos em contato e nos falando. Muitos deles não são mais corretores, mas muitos ainda estão trabalhando na mesma área, porém em outros Estados, como eu”, conta.

Lao conta que o seu estilo de trabalho é de acompanhar o seu cliente do início e até depois da compra do imóvel. “Tenho clientes que já estão em sua 3ª ou 4ª compra de casas comigo e sempre tenho inúmeras referências de clientes antigos”, reforça. A brasileira trabalhou como corretora representando várias empresas do ramo imobiliário, tais como DeWolfe Realty, Connors Realty, Re/Max Results, Re/Max Around Atlanta, Better Homes and Gardens, Solid Source e atualmente trabalha em Atlanta Communities Real Estate Brokerage.


VIDA NA GEÓRGIA


Durante a crise econômica de 2008, Lao e seu esposo decidiram fugir do frio de Boston e buscar um lugar com o clima mais ameno para viver. Passaram pela Flórida várias vezes e consideraram morar lá, para desfrutar do sol e praia. No entanto, sempre visitavam na época do inverno, e quando foram no verão perceberam que era quente demais e mudaram de ideia.

“Nessa época, dois dos meus clientes de Boston resolveram se mudar para Atlanta e nós viemos para conhecer. Visitamos a cidade cinco vezes e decidimos comprar dois town homes aqui. Entre todas as cidades, preferimos Marietta, por ser mais parecida com Boston; não temos que ir muito longe para achar um supermercado, farmácia etc. Sentimos Marietta mais aconchegante. Quando chegamos não conhecíamos ninguém e me foi oferecido a posição de gerente de contas no Bank of America, que aceitei e foi assim que conheci a comunidade brasileira de Marietta e outras comunidades com as quais trabalho hoje”, conta Lao. A brasileira conseguiu transferir sua licença de Realtor de Massachusetts para atuar na Geórgia, após estudar e fazer um teste sobre as leis do Estado. O sistema da Geórgia é bem diferente do de Boston, com carga horária de estudo para tirar a licença maior, mas a brasileira rapidamente estava licenciada e adaptada à vida aqui no Sul do país.

No decorrer de sua carreira, Lao fez inúmeros outros cursos para enriquecer seus conhecimentos e sua vida profissional como corretora. Este ano, quando ela completa 23 anos de profissão, ela conseguiu finalizar o seu curso e processo para obter sua licença de Broker. Ela possui um título de Associate Broker. “Tive que estudar muito para tirar essa licença, e agora estou atualizada com as mudanças de leis e regras de corretagem na Geórgia. As leis e regras estão sempre mudando e temos que adquirir novos conhecimentos e formas de exercer a profissão corretamente”, explica. Para Lao, certas qualidades são inegociáveis para um corretor: honestidade, competência, responsabilidade, gostar do trabalho que faz e querer ajudar as pessoas.


A PANDEMIA E OS PLANOS FUTUROS


Lao diz que não pode falar que não teve nenhum fracasso aqui nos Estados Unidos, mas desde que entrou no mercado de vendas e aluguel de imóveis, só teve sucesso, sempre conseguindo atingir as suas metas. Ela conta que, profissionalmente, seu objetivo principal é sempre de ajudar as pessoas a ter um moradia mais segura, para não pagarem mais para morar e ter um patrimônio que pode ser repassado para a família. “Eu acredito que tenho ajudado muita gente”, diz.

Com a sua base sólida e tantos anos de experiência, Lao conta que a pandemia lhe afetou mais na vida pessoal do que profissional. “Desde o início da pandemia procuro não ficar muito tempo em ambientes fechados com muita gente. Todas às vezes que tive contato com alguma pessoa que testou positivo, fiquei uma semana em casa de quarentena. Mas em nenhum momento parei de trabalhar. Uso máscara e tomo todas as precauções de distanciamento social. Recentemente também tive a oportunidade de tomar as duas doses da vacina contra o COVID-19, o que me deixou mais tranquila”, conta a brasileira.

Sobre o mercado imobiliário, Lao conta que, em sua experiência, foi afetado de maneira positiva, pois seus clientes tiveram mais tempo para ver casas on-line, devido ao trabalho remoto no lockdown, não precisaram enfrentar o tráfego de Atlanta para ir trabalhar e estavam com a mente mais tranquila; também as pessoas começaram a tirar mais proveito de toda a tecnologia que temos disponíveis para corretores de fazer todo esse processo a longa distância, inclusive o “showing” da propriedade 100% virtual. “Acredito que o mercado imobiliário na Geórgia não foi afetado no geral, sempre tem algumas partes que sentem ajustamento na economia, mas em geral não mudou muita coisa”, conta

Com relação aos seus planos futuros, Lao conta que ano passado planejou viajar de férias para a Europa, e que pretende fazê-lo este ano. Durante a pandemia, ela aproveitou o máximo para estudar para adquirir a sua licença de Broker. Para quem não é familiar com o processo imobiliário, primeiro você se torna um Salesperson; depois faz o teste e tira sua licença de Realtor; por último você estuda, faz o teste e tira a licença de Broker. Esta é a etapa em que o corretor pode abrir a sua própria imobiliária como Broker e ser responsável por outros corretores. Mas o Broker também pode continuar trabalhando como Broker Associate.

Em seu tempo livre Lao gosta de relaxar lendo, assistindo televisão, pintando telas de acrílico e óleo. A brasileira adora as artes abstratas e com os sentimentos do momento. Ela tem o hábito curioso de pintar coisas que não usa mais e que são parte de sua história nos Estados Unidos. Ela também gosta de viajar, conhecer lugares e culturas diferentes experimentar a gastronomia de outros países, ver de perto como as pessoas vivem.


DICAS E AGRADECIMENTOS


Lao Rimanelli aconselha a todos os brasileiros na Geórgia a nunca desistirem de seus sonhos de conquistar o prazer de ser um home owner aqui nos Estados Unidos. “A melhor dica que posso oferecer a você é que: 1) todos deveriam cuidar de seu crédito, não pagar nada atrasado, não fazer novas dívidas e não cancelar as dívidas que já tem; 2) fazer a sua declaração de imposto de renda com valores reais e suficientes para poderem usar na hora da compra de um imóvel, fale de seus planos futuros de adquirir um imóvel com o seu contador e financiador; 3) ter o dinheiro para a entrada em uma conta bancária, não embaixo do colchão; 4) saber quanto quer pagar de prestação e a área onde quer morar; 5) nunca compre um imóvel fora da sua realidade financeira para impressionar os outros. Todas essas dicas são muito importantes para quem pensa em comprar uma casa”, aponta a brasileira.

Lao completa dizendo que “se você já está pronto para comprar, aproveite o momento; o mercado imobiliário está aquecido porque não tem muitas casas disponíveis para venda e os juros estão muito baixos, menos de 3% para 30 anos. Lembro de vender casas com juros de 19% na década de 90. Incrível como as coisas mudam.”

“Como eu já mencionei, trabalho muito com referências e tenho uma extensa lista de pessoas para agradecer, o que me vem à memória agora são as referências do meu trabalho e de mim como pessoa de todas as vezes que alguém pergunta por um corretor brasileiro no Facebook, já vejo a Evellyn Castro-Roblero respondendo, a Irana Couto, a Juliana Zardo que comprou comigo sem mesmo ver a casa antes, e por recomendação das minhas clientes e amigas do Facebook, Janaina Souza, Dilma Prado, Sonia Cury, Mila Faria, Fabiana Rodrigues e Ticianne Christofolli. Também agradeço os meus amigos que estão sempre me recomendando, comprando e vendendo comigo como Mateus Grahl, que, confiando em mim, comprou a primeira casa sem ver e já comprou o seu segundo imóvel comigo. Agradeço a Leo Roberto, meu parceiro financeiro que me ajuda a qualificar os compradores. À revista Cia Brasil Magazine que está sempre divulgando o meu trabalho e postando fotos dos eventos que participo. Ao meu filho Fabrizio Fabre que faz meus vídeos, flyers, cartões de visitas e post cards. À minha nora Erika Marques, que sempre tem meu cartão em mãos para dar às pessoas. Sou muito agradecida a todos os meus amigos e clientes que, além de terem relacionamentos profissionais comigo, estiveram ao meu lado quando perdi o meu esposo em 2019. Vocês todos moram no meu coração”, finaliza.



Da Redação

Last Updated on Thursday, 18 February 2021 15:33
 
« StartPrev123456NextEnd »

Page 2 of 6

Translate

Portuguese English Spanish