Home Opinião
Opinião | Rio 2016 – Um evento certo na hora incerta
Friday, 15 July 2016 00:00


Na última semana de agosto de 2015 quando viajei para o Rio de Janeiro, para me despedir de meus familiares, pois já estava com minha passagem comprada para os Estados Unidos, pude observar alguns fatos que fugiam do corriqueiro da capital fluminense.

O que pude ver na minha terra natal eram obras, muitas obras por todo canto, um trânsito caoticamente engarrafado, muito mais do que o habitual, o estresse estampado no rosto do meu amado povo carioca, que se mostrava bastante desgostoso com a nossa cidade, que ainda carrega a fama de “maravilhosa”. Por conta das obras que dificultaram muito o fluir do trânsito, que já não era bom, o povo carioca se mostrou insatisfeito e vem reclamando bastante do que se tornou a “cidade sede dos jogos olímpicos”.

Falando agora sobre os jogos olímpicos, são um evento de grande importância no cenário esportivo do mundo inteiro, que já projetou muitos anônimos para a galeria dos heróis esportivos e também serviu para perpetuar a glória de muitos outros que já eram heróis. É lindo ver um ilustre desconhecido tornar-se, de repente, o representante de uma nação inteira. Agora, as perguntas que não se calam e causam cócegas no intelecto de muitos são: Seria o Rio de Janeiro a cidade ideal para sediar os jogos olímpicos? A cidade está organizadamente estruturada para sediar tal evento? A cidade está segura para receber pessoas do mundo inteiro e dar-lhes a devida segurança? Infelizmente, e com muito pesar, a resposta para tais perguntas é negativa. O Rio de Janeiro, segundo os próprios cariocas, está falido. Funcionários públicos estão há meses sem receber seus salários, as escolas públicas estão em greve, a saúde pública está adoecida e o cidadão sai de casa, mas não sabe de fato se volta, pois se sente completamente vulnerável à violência. Até a polícia militar, que é paga para dar segurança ao cidadão, está com seu salário atrasado.

O mais interessante é saber que já foram investidos mais de trinta bilhões de reais na realização das obras para o evento. Não seria ótimo se tanto investimento fosse feito na educação, por exemplo? O povo carioca, bem como todo o povo brasileiro, daria total apoio à realização dos jogos no Rio de Janeiro se os pilares básicos (educação, saúde e segurança pública) estivessem estruturados e em excelentes condições de funcionamento, mas, infelizmente, todos sabemos que os jogos irão acontecer. Muitos atletas serão honrados, outros serão perpetuados e outros voltarão para o ostracismo após o fim das Olimpíadas. E o Rio de Janeiro? Este continuará com a saúde debilitada, com a educação inadequada e com a segurança pública insegura. Por essas razões é que o brasileiro, festeiro pela própria natureza, não se mostra empolgado com as olimpíadas, ou seja, um evento certo na hora incerta. Nosso povo anda cansado das mazelas, do descaso, dos impostos altíssimos sem retorno. Foi-se o tempo em que o brasileiro se contentava com samba, carnaval e futebol. O povo quer dignidade de trabalhar e viver honestamente do fruto do seu trabalho.

E “... pra não dizer que não falei das flores...” (Geraldo Vandré, 1968), os jogos olímpicos certamente trarão um ótimo retorno financeiro para os cofres do Rio de Janeiro mas, devido à insaciável ganância dos nossos governantes que desviam dinheiro público pra alimentar seu próprio ventre, não há esperança de que esse retorno será usado em benefício do povo, pois, como dizia Caetano Veloso, “... enquanto os homens exercem seus podres poderes...”, “...chora a nossa pátria, mãe gentil, choram Marias e Clarisses no solo do Brasil...” (João Bosco e Aldir Blanc, 1979).




Elielson Vasconcellos (O Neguinho poeta)
Músico profissional e Professor de Inglês e Português
Contato: (404) 781 4467

Last Updated on Monday, 08 May 2017 20:59
 


Translate

Portuguese English Spanish