Home
Brasil


Brasil | Paralimpíadas - Rio 2016


A cidade do Rio de Janeiro recebeu as Paralimpíadas entre os dias 7 a 18 de setembro. Durante o evento multiesportivo para atletas com deficiência, o Brasil assistiu muitas vitórias e um show de superação.

O estádio do Maracanã esteve em festa durante as cerimônias de abertura e encerramento das Paraolimpíadas, com discursos de boas vindas, hino nacional, hasteamento da bandeira, desfile dos atletas e espetáculos artísticos mostrando a cultura do Brasil. Muitos artistas foram convidados, num espetáculo de música, dança e muita emoção.

O público compareceu aos jogos que teve a segunda maior venda de ingressos da história. Foram 23 modalidades paralímpicas e 528 provas. O Brasil ficou em 8º lugar na colocação geral, com 72 medalhas, sendo 14 de ouro, 29 de prata e 29 de bronze. A China ficou disparada na 1ª colocação com 239 medalhas no total.

O atleta Daniel Dias foi o maior medalhista da natação. Sempre com um sorriso no rosto, subiu ao pódio nove vezes na Rio 2016, com 4 medalhas de ouro, 3 de prata e 3 de bronze. Aos 28 anos, já participou de três paralimpíadas com 24 medalhas no total.

As Paralimpíadas Rio 2016 foram um sucesso. Mostrou que o homem não tem limites. O próximo objetivo dos atletas é Tóquio 2020.



Por Marisa Andrade
Colunista Cia Brasil

 
Brasil | Rio 2016 – O Brasil deixou saudades!


Em clima de carnaval e apoteose da Sapucaí no Maracanã, a Rio 2016 se despediu do Brasil. Após 17 dias de competição, o público vibrou e se emocionou durante os Jogos Olímpicos. Tivemos a oportunidade de ver grandes campeões, mitos, revelações e histórias de superação. A torcida brasileira levantou os estádios e as arenas olímpicas, e ficamos orgulhosos do que vimos. Contrariando muita gente, a Olimpíada foi um sucesso e a atmosfera nas ruas era de “bem com a vida” no melhor estilo carioca.

Num clima alegre e descontraído, a festa de encerramento contou com um teatro montado com muitas manifestações culturais, musicais, projeções e show de luzes. O Hino Nacional foi tocado ao som dos atabaques. Roberta Sá incorporou Carmem Miranda, enquanto as delegações desfilavam, com visível alegria dos atletas.

Grandes nomes da música foram lembrados como Braguinha, Pixinguinha, Noel Rosa, Luiz Gonzaga e Jackson do padeiro. A cerimônia, que representou a arte brasileira, fez homenagem aos jardins de Burle Marx e as paisagens mais famosas do Rio.

Com figurinos da carnavalesca Rosa Guimarães, 50 baianas e 200 sambistas dançaram as marchinhas de carnaval e os carnavais de rua. Um carro alegórico da Olimpíada se juntou às escolas de samba e suas baterias, que foram tomando conta do estádio. Os atletas de todo o mundo se renderam ao carnaval brasileiro e caíram no samba. Foi uma verdadeira apoteose no Maracanã.

O Brasil passou a bandeira olímpica para a cidade de Tóquio, que vai sediar a próxima Olimpíada, seguida de uma apresentação para agradecer os atletas e convidar todos para a Tóquio 2020. A cerimônia do apagar da chama olímpica, com chuva artificial, foi emocionante. O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, encerrou os Jogos Olímpicos e em seu discurso destacou que o “Brasil unido animou o mundo, em tempos difíceis para todos nós. Essa Olimpíada celebrou a diversidade. Chegamos ao Brasil como convidados, saímos como seus amigos, vocês sempre terão um lugar em nossos corações”.

A Rio 2016 se despediu em grande estilo. Foram momentos grandiosos que ficarão para sempre na nossa memória. “Foi maravilhoso! Inesquecível! Amei! Fui aos Jogos e andei pelas ruas agitadas de Copacabana, onde deu pra sentir bem o alto astral de toda festa, inclusive no Parque Olímpico e Maracananzinho. Um show! Foi muito bonito e me senti bastante segura com o policiamento (civil e militar) por todo lado. Acho que o mundo ficou com outra impressão do Brasil. Deixou muitas saudades. Não queria voltar pra casa”, disse Rosana Noronha Ribeiro, fisioterapeuta.

Michel Phelps, nadador americano considerado o maior atleta de todos os tempos, falou à imprensa: “Já sinto saudade da beleza do Rio e da amizade de seu povo”.

O Brasil foi o primeiro país da América do Sul a sediar uma Olimpíada e somou 19 medalhas (7 de ouro, 6 de prata e 6 de bronze), ficando em 13º lugar (veja os medalhistas brasileiros em nosso website www.ciabrasilatlanta.com). O primeiro lugar na classificação geral de medalhas ficou para a equipe americana com 46 medalhas de ouro, 37 de prata, 38 de bronze, 121 no total.

A americana Simone Biles da ginástica artística (4 medalhas de ouro e 1 de bronze), o americano Michael Phelps da natação (5 medalhas de ouro e 1 de prata) e Usain Bolt, atleta jamaicano mais rápido do mundo (3 medalhas de ouro no atletismo) encantaram a torcida brasileira e o mundo.

De 7 a 18 de setembro, o Rio de Janeiro ainda sedia a Paralimpíada, com a presença de 4.350 atletas de 178 países, competindo em 22 modalidades. A delegação brasileira conta com 279 atletas.



Por Marisa Andrade
Colunista Cia Brasil

 


Translate

Portuguese English Spanish