Home Ciência e Tecnologia
Tecnologia | Mudança de Planos - Próxima parada: Lua
Monday, 20 April 2015 00:00


Julio Verne, famoso escritor nascido em 1828, já deve ter visto em sua mente visionária um futuro cheio aventuras a outros mundos quando escreveu em 1865 o livro de ficção Da Terra à Lua. E bem mais tarde, todos nós, quando crianças, assistíamos a desenhos e filmes de ficção científica em que haviam marcianos, naves, viagens a outros mundos, enfim, exploração humana a outros planetas. Tudo começou com os contos, livros e filmes de Hollywood. A ideia foi ganhando corpo e chegamos à lua com a Apollo 11, a quinta missão tripulada do Programa Apollo, no dia 20 de julho de 1969. Tripulada pelos astronautas Neil Armstrong, Edwin ‘Buzz’ Aldrin e Michael Collins, a missão cumpriu a meta proposta pelo Presidente John F. Kennedy em 25 de maio de 1961, quando, perante o Congresso dos Estados Unidos, afirmou que: “Eu acredito que esta nação deve comprometer-se em alcançar a meta, antes do final desta década, de pousar um homem na Lua e trazê-lo de volta à Terra em segurança”.

De lá pra cá, planos têm sido desenvolvidos para ir mais além. Na edição passada, nós divulgamos um programa de migração de humanos a Marte e sugerimos que a Lua talvez fosse vista com mais carinho pelos nossos engenheiros espaciais.

E olhem só, parece que eles nos ouviram, e Marte não será mais o alvo principal de um segundo lar para nós terráqueos. A NASA vinha investindo em estudos e projetos para desenvolver bases em Marte, mas agora os planos são menos ambiciosos. A Lua, o nosso tão idolatrado satélite, será nossa primeira base fora da Terra. Estaremos construindo uma base de lançamento, laboratórios e moradias lá.

Em 2010, os Estados Unidos declararam que não havia interesse em povoar a Lua, segundo discurso de Barack Obama. Mas cinco anos depois, William Gerstenmaier, chefe do grupo de exploração humana da NASA, engenheiro respeitado que tem supervisionado programa de voos espaciais tripulados da NASA desde 2005, declarou que a Lua pode ajudar muito na missão direta de 900 dias para Marte. Gerstenmaier acredita que grandes quantidades de gelo nos pólos lunares fornecerão um importante reservatório de oxigênio e hidrogênio combustível para a propulsão de foguetes e naves espaciais.

Portanto, a Lua seria uma espécie de escala da Terra para Marte. Isso parece ser o mais sensato, pois a ela é bem mais perto que o “planeta vermelho” e será um embrião importante na implantação de exploração humana fora do nosso planeta.

A superfície da Lua seria um ótimo teste para os rovers, módulos habitacionais e outras tecnologias, antes de enviar astronautas para o espaço distante, sem a garantia de retorno. E isso também abre campo para uma nova indústria e mais desenvolvimento de pesquisas e criação de novos empregos.

Imagine ver a Lua toda iluminada e talvez com outdoors de propaganda. Poder presenciar o lançamento de foguetes... Eu já comprei um monóculo que aumenta o satélite em 30 vezes. Acho que vou curtir bastante a Lua nessa nova fase daqui da Terra. E prepare-se pra conhecer quem sabe uma Disney Lunar... As possibilidades são infinitas e você já pode viajar pra onde quiser, pelo menos através da sua imaginação.



Wilson Versolado
Jornalista

 
« StartPrev12NextEnd »

Page 1 of 2

Translate

Portuguese English Spanish