Home Comunidade
Comunidade | Departamento de Polícia do Condado de Cobb forma nova Unidade de Assuntos Comunitários
Monday, 16 July 2018 00:00


O Departamento de Polícia do Condado de Cobb agora tem uma Unidade de Assuntos Comunitários (Community Affairs Unit), a fim de ter um relacionamento positivo entre a polícia e a comunidade local.

Supervisionada pelo Sargento Jeff Tatroe, a Unidade de Assuntos Comunitários tem muitos programas que ajudam a construir uma ponte que permite uma melhor comunicação entre os moradores e às autoridades policiais para colaborar e trabalhar juntos para construir comunidades mais cuidadas e seguras. A nova unidade está envolvida com escolas, igrejas, vizinhanças, empresas locais, associações de moradores etc. Os oficiais estão disponíveis para participar de reuniões e eventos comunitários que promovem parcerias e relações de trabalho entre a comunidade e o departamento de polícia.

A revista Cia Brasil entrevistou o oficial Raymond N. Granel, que faz parte da Unidade de Assuntos Comunitários, voltado para a comunidade latina. Ele ainda disponibilizou uma linha direta especialmente para a comunidade brasileira do Condado de Cobb para entrar em contato com essa nova Unidade, tirar dúvidas e solicitar a presença de representantes da polícia do condado em eventos da comunidade, entre outros assuntos. A unidade também conta com pessoas que falam espanhol e entendem português.


Cobb County Police Department Community Affairs
Raymond N. Granell
Telefone: (770) 499-4185
Celular: (404)218-1622
Email: This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it


C.B.: A percepção das comunidades de imigrantes é de a polícia está sempre nos vigiando. Você pode comentar um pouco sobre este assunto?

Officer Granell: Essa foi uma das principais razões que nasceu a necessidade da criação do departamento de Community Afairs. Além do departamento em si, para alcançar as comunidades de residentes do nosso Condado, também foram criadas subdivisões para alcançar as comunidades de imigrantes, para podermos amenizar esse estereotipo que nós, do departamento de polícia, sob os quais somos caraterizados.

Nós também somos seres humanos, com nossas falhas e medos. A única coisa que nos diferencia de todas as outras pessoas é o nosso treinamento. Nossa intenção dessa interação também é de nos aproximarmos dessas comunidades e também aprendermos com elas para enriquecer os nossos conhecimentos e entendermos melhor a quem servimos.

Dito isso, a resposta é: “Não.” Não estamos sempre vigiando um determinado segmento da população. Nosso trabalho é atender às necessidades da nossa comunidade, oferecendo o trabalho pelo qual fomos treinados de manter todos os residentes seguros, sejam eles indocumentados ou não.


C.B: Em nossa comunidade há muitas reclamações de “profiling” por parte da polícia de Cobb, parando pessoas imigrantes muitas vezes sem nenhuma razão, somente por ser latino.

Officer Granell: Nós queremos que os residentes de nossa comunidade confiem em nosso departamento. Nossa prioridade é solucionar crimes e não fazer papel de polícia imigratória. Se você achar que foi parado injustamente ou não ficou esclarecido para você quando um policial lhe parou, você tem o direito, como residente (indocumentado ou não), de questionar o motivo pelo qual você está sendo parado. Hoje quase cem por cento dos policiais de Cobb County estão equipados com Body Cameras (câmeras corporais), que registram todas as ações do policial. Essas câmeras estão sempre monitorando cada policial individualmente. Outra forma de sempre assegurarmos que os policiais tenham boas condutas e ajam sempre dentro da lei é eles estarem sempre em pares, uma questão de segurança tanto para o policial quanto para os residentes do nosso condado. Em cima disso tudo, todas as pessoas têm o direito de comparecerem ao departamento de polícia e conversarem com o sargento responsável pelo precinto e colocarem suas reclamações.

Nós policiais somos treinados para reagirmos de acordo com a situação que encontramos. Enquanto tais, temos a obrigação de reforçar as leis do nosso estado, se nos deparamos com uma situação que podemos exercer o nosso julgamento e bom senso, deixando de lado qualquer interferência externa, preconceito, ou problemas pessoais. Nós sempre estamos inclinados a escolher o melhor desfecho sem confrontos ou incidentes.


C.B. No Estada da Geórgia é obrigatório andar com uma ID com foto em qualquer lugar público?

Officer Granell: É uma boa ideia estar munido de um documento com foto junto com você o tempo todo, se você possui um documento válido com foto como o seu passaporte (mesmo o do seu país de origem) e, no caso do brasileiro, a Carteira de Matrícula Consular, que é um documento oficial e vale como forma de identificação. Esses documentos precisam ter sido emitidos por uma instituição oficial. Há casos em que nossos policiais claramente notam que um documento apresentado é falso, sem marca d’agua do órgão emissor, em papel de baixa qualidade e até mesmo grosseiramente copiados. Nessas ocasiões o policial irá questionar a sua identidade. Os policiais de Cobb County não irão requerer documentos que provem seu status imigratório, mas precisam de um documento que prove que você é quem você diz ser, com nome, endereço, foto etc. Requisitar uma forma de identificação faz parte do trabalho da polícia em manter a cidade segura, tendo certeza de que não há pessoas com más intenções circulando pela cidade. Vale lembrar que a polícia pode parar você e requisitar uma forma de ID, mesmo se você não estiver dirigindo. É muito importante você se identificar.


C.B. Policiais ficam checando placas de veículos o tempo todo, sem o motorista estar cometendo uma infração e pará-lo?

Officer Granell: Não. Na Geórgia um policial precisa ter alguma razão para parar um veículo. Há casos em que um policial tenha alguma suspeita de um determinado veículo, por inúmeros motivos, principalmente se o motorista estiver cometendo alguma infração no trânsito, ou está com placa vencida, ou com suspeita de que o carro seja roubado. Quando o policial checa a placa do veículo, o policial pode ver no sistema que nela está vinculado uma carteira de motorista que foi usada para registrar o mesmo, e também a informação se essa habilitação está vencida. Se o motorista não possui uma habilitação, ou a habilitação não confere com a da pessoa que registrou o veículo, o policial irá fazer perguntas para saber a procedência do veículo, inclusive solicitar o cartão de seguro do carro. É assim que, na maioria das vezes, podem ser checadas habilitações de motorista vencidas ou inexistentes.

Dirigir sem habilitação é crime em todos os estados americanos e em Washington, D.C. Isso significa que você tem que ter sua carteira de motorista válida em mãos, se um policial o parar enquanto estiver dirigindo. Deixar de mostrar a prova de uma licença válida é menos ofensivo do que não ter uma licença, mas ainda é um crime.


C.B: O que acontece quando um imigrante indocumentado é vítima de um crime, e ele tem medo de fazer uma ocorrência ou chamar a polícia no local?

Officer Granell: Nosso principal propósito é solucionar crimes. Nós não temos interesse nenhum em saber da situação imigratória de um residente da nossa jurisdição. Quando somos acionados para responder a uma ocorrência, o status imigratório das pessoas envolvidas (as vítimas ou testemunhas) é irrelevante. Aliás, o sistema imigratório americano tem um programa especial chamado U-Visas, na qual concede status imigratório legal para vítimas de crimes ou qualquer pessoal indocumentada que ajudar a polícia a solucionar um crime. Há requerimentos específicos para essas pessoas se qualificarem para o programa, por isso sempre recomendamos, se você presenciou ou foi vítima de algum crime, para chamar a polícia imediatamente, enquanto o caso ainda está recente. Passado muito tempo, fica mais difícil reunir testemunhas, e evidências já podem ter sido perdidas ou contaminadas. O departamento de polícia também dispõe de intérpretes para todas as línguas para auxiliar em casos como esse.

É importante ressaltar que, se acionada, a polícia sempre irá pedir uma identificação para todos os envolvidos (vítimas e testemunhas) para melhor servir ao cidadão. Se por algum motivo alguma pessoa envolvida nesse processo estiver com alguma ordem de prisão, o departamento será obrigado a executá-la, paralelo ao caso que ela foi acionada.

E gostaria de lembrar a todos sobre a nova lei “Hands Free”, que foi assinada pelo governador Nathan Deal em 2 de maio deste ano, e que entrou em vigor em 1º de julho de 2018. Os policiais estão aplicando a lei e todos os motoristas precisam entender o que está nela. O melhor recurso para entender a lei é o Escritório de Segurança Rodoviária do Governador da Geórgia (www.gahighwaysafety.org). Se você tiver alguma dúvida, há também um site dedicado: http://www.headsupgeorgia.com/handsfree-law.


ALGUMAS DICAS PARA A COMUNIDADE BRASILEIRA


1. Se você não pode apresentar uma forma de ID quando a polícia lhe abordar e requisitar uma forma de identificação (desde que você não esteja dirigindo, pois a carteira de habilitação é obrigatória para todos os motoristas em todos os estados americanos, e dirigir sem ela é crime), você tem o direito de perguntar o motivo pelo qual você está sendo questionado. Somente a falta de mostrar a sua ID não é motivo para você ser detido. Aconselha-se que você pergunte ao policial educadamente se você está livre para seguir o seu caminho. Se o policial responder que sim, mantenha sua calma e retire-se sem responder nenhuma outra pergunta.

Apesar de alguns estados terem leis de imigração mais rígidas, não há nenhum lugar no país em que seja ilegal simplesmente estar em público sem estar munido de uma ID. No entanto, existem vários estados em que é uma ofensa com detenção se você se recusar a se identificar para a polícia. A Suprema Corte dos Estados Unidos determinou que esses tipos de leis podem ser legais, desde que os policiais tivessem suspeitas razoáveis de deter você em primeiro lugar.


2. É importante ressaltar que, se você for detido, o departamento de polícia que você for encaminhado pode contatar o ICE, se suspeitarem que você esteja no país ilegalmente. Nunca minta ou apresente documentos falsos. Todas as pessoas podem exercer o direito de “ficar calado” (remain silence) quando questionados pela polícia, para não se incriminarem. Não é recomendando para uma pessoa que foi detida pela polícia assinar quaisquer documentos que ela não entenda, ou fornecer qualquer informação sem antes falar com o seu advogado.


3. Embora as leis de imigração estejam em grande parte sob jurisdição federal, a Geórgia também tem leis que tratam da imigração. Existem muitas pendências sobre muitas das leis de imigração da Geórgia que estão em vigor, e alguns aspectos já foram bloqueados por tribunal. Para obter as informações mais abrangentes e atualizadas sobre a lei da Geórgia, entre em contato com autoridades locais ou com um advogado especializado em leis de imigração federais ou da Geórgia.



Da Redação
Colaboração: Martha Childers (Paralegal) e
Gregory Chancy (Advogado) – Law Office of Gregory Chancy

Last Updated on Monday, 16 July 2018 14:26
 
« StartPrev1234NextEnd »

Page 3 of 4

Translate

Portuguese English Spanish