Home Cia Humor
Cia Humor | Black Friday
Thursday, 15 December 2016 00:00


Eu Confesso: sou consumista sim! Não dá pra negar, fazer compras é maravilhoso. É uma sensação prazerosa poder comprar tudo aquilo que você deseja. É uma sensação tão boa que quando chega o Black Friday todos os sentimentos bons se multiplicam por dois, e se comprar já é bom, comprar com descontos é maravilhoso, mesmo que algumas compras não sejam tão boas assim ou programadas.

Comprar por impulso é um pouco arriscado. Às vezes somos impulsionados de uma forma tão rápida, mas tão rápida, que nem chegamos a comprar. Esta parte ficou confusa, mas eu vou explicar.

Certa vez, vi os anúncios de promoção da Black Friday. Minha esposa e eu não pensamos duas vezes em trocar nossa TV antiga por uma mais nova e moderna, sendo que a nossa era um trambolho de 70 polegadas e pesava quase 70 quilos. Ocupava praticamente metade do nosso quarto. Às vezes, quando minha mulher brigava comigo, eu não dormia no sofá, eu simplesmente me deitava em cima da TV. Então, quando vimos os anúncios, ficamos tão empolgados em comprar uma nova TV e finalmente ter mais espaço no quarto que na quarta-feira na semana do Black Friday doamos a TV velha. Foi como tirar um fusca de dentro da minha casa.

Enfim, chegou a tão esperada sexta-feira. Já havia comprado cabos HDMI para TV nova, e até um suporte super moderno para instalá-la na parede. Ficamos empolgados com todo aquele mar de liquidações que acabamos nos esquecendo de comprar a TV.

Só fomos nos dar conta do esquecimento duas semanas depois. Mas, por coincidência, logo iniciamos um processo de mudança de endereço e então resolvemos comprar a TV depois de já instalados na nova casa. Tudo bem que todo esse processo levou quase um ano: um ano para finalmente mudar; um ano sem TV no quarto, mas já com o suporte e os cabos. Quando chegou novamente o Black Friday, fomos tomados mais uma vez por toda a magia do consumismo e compramos tudo que podíamos e, claro, o que não podíamos também.

Mas, só pra constar, dessa vez não esquecemos a TV. Quando o caminhão de entrega chegou, foi uma sensação de dever comprido em estar ajudando a economia do país. Os entregadores não paravam de chegar com caixas e mais caixas. Sei que extrapolamos um pouco dessa vez, mas tudo era motivo de alegria.

Logo minha esposa e eu, ansiosos para ver nossas aquisições, não perdemos tempo e saímos abrindo todas as caixas e sacolas. Nunca imaginei que o Black Friday poderia gerar tanto lixo. Minha casa ficou parecendo uma cooperativa de reciclagem.

Finalmente, depois de tudo resolvido, casa limpa e organizada, era hora, enfim, de estrear a nova TV. Nunca fui muito bom com ferramentas, mas no manual do suporte de parede parecia tão simples que resolvi eu mesmo instalar.

Sai perfurando toda a parede do quarto, procurando pela madeira de sustentação para finalmente iniciar a fixação dos parafusos. Falando assim até parece que eu sabia o que está fazendo. O que eu não sabia era que fazendo pequenos furos, um do juntinho ao outro, eu estava picotando a parede. E como não encontrei a madeira para fixar o suporte, mas apenas gesso molhado (isso mesmo, gesso molhado), nesses furos eu encontrei um cano. Mas nada que não se resolva com fita adesiva.

Conclusão: como não havia encontrado a tal madeira de sustentação, eu tive uma brilhante ideia de fixar na própria parede. Nem preciso falar que, com a parede molhada toda picotada e com o peso da TV, eu acabei construindo uma janela que liga o meu quarto ao banheiro. Agora é só explicar tudo isso pra minha esposa.



Kleber Pedroso
Humorista e redator

Last Updated on Thursday, 04 May 2017 14:35
 
« StartPrev12345678910NextEnd »

Page 3 of 11

Translate

Portuguese English Spanish