Home Bem estar
Saúde e Bem Estar | 2020 COM MENTE SÃ E CORPO SÃO
Wednesday, 15 January 2020 00:00


O novo ano, as comemorações, as notícias nossas e do mundo, os conflitos mal resolvidos, a saudade dos familiares e das coisas de nossa cultura... nos fazem mais sensíveis, emotivos e mais preocupados com o bem-estar do outro e o nosso. E este período inverno nos convida a refletir sobre o que passou e a pensarmos em novos projetos e novas metas. Tudo isso pode gerar conflitos e emoções que, se não foram processadas, tendem a se expressar de uma forma ou de outra. Por isso, é muito comum recebermos no consultório, nesta época do ano, pessoas com sintomas depressivos, dores sem causas físicas, desânimo, solidão e até casos graves de transtorno mentais sérios que, quando desencadeados, exigem mais atenção.

Quando uma pessoa traz (carrega) consigo conflitos mal resolvidos ou experienciou eventos traumáticos, estes tendem a estar mais realçados. E, quando “não-olhados e não-cuidados”, eles se manifestam através de sintomas de ansiedade, tristezas, pensamentos depressivos, dores, doenças psicossomáticas ou pensamentos suicidas. E quando a pessoa é muito questionadora e crítica consigo mesma, estabelece intensa cobrança interna sobre seus deveres: qual caminho a seguir, qual atitude deve ser tomada e o medo de errar dentro da nova cultura.

Se o processo de aculturação transcorrer bem, a pessoa se adapta e saberá balancear os aspectos da nova cultura. No processo de aculturação, em um transcurso normal, tudo é novo e convidativo, há natural motivação para buscar e descobrir novas possibilidades.

Com o tempo a pessoa pode experienciar situações difíceis, sentir-se julgada ou criticada, podendo até se isolar. Mas depois ela se ajusta ao novo ambiente, às novas regras sociais e aprende a navegar no novo sistema. No entanto, muitas pessoas não passam por todas estas etapas tranquilamente. Há casos de transtornos de adaptação, com manifestações de ansiedade, agressividade, tristeza, medos e até mesmo um profundo questionamento dos seus valores. As incertezas podem persistir, acompanhadas de pensamentos confusos e negativos, afetando a estima e a identidade. Como lidar com esta negatividade?

O desafio está em nos observar internamente, identificar e aceitar que algo nos incomoda, que algo não está resolvido e necessita ser trabalhado. Aceitar ajuda é o primeiro passo para retirar os grandes obstáculos à felicidade. A negatividade pode impactar o nosso êxito.

Ao longo da minha jornada tive a oportunidade de tratar pessoas com variados sintomas. Gostaria de ilustrar com um exemplo de uma cliente que se apresentou com queixas de insônia, ansiedade, sintomas de depressão e ideias de suicídio. Segundo sua percepção, ela piorava no inverno, especialmente no final de ano, quando se isolava mais, inclusive nas festas natalinas e de ano novo.

No seu país de origem, essa moça tinha um irmão que sofria de transtornos mentais e necessitava de constantes cuidados psiquiátricos. Ela se sentia absorvida com as repetidas crises e hospitalizações dele. Um dia ela resolveu morar no exterior, para longe de sua família. Apesar da distância, reportava que não conseguia deixar de se preocupar com seus familiares, precisava ligar diariamente para eles e certificar-se de que estavam bem.

Uma de suas reclamações era o constante desalento que sentia, acompanhado da vontade de desistir de tudo. Tinha um diálogo interno negativo, era autocrítica, culpava-se por não estar presente fisicamente para ajudar a sua família. Autopunindo-se, aumentou a sua ingestão de álcool diariamente, passou a descuidar de sua higiene pessoal e dirigia alcoolizada, até um dia ser presa por DUI (driving under the influence).

Essa paciente assumiu uma grande responsabilidade e carregava uma enorme carga. Também tinha conflitos internos, pois não sentia que não “conseguia”, que não podia ser perfeita para atender seus familiares e, ao mesmo tempo, seguir sua própria vida. Consequentemente, ela manifestava medos e inseguranças nas suas relações interpessoais. Os finais de ano eram a época mais difícil por sempre se recordar da distância de seus entes queridos e não poder visitá-los.

Depois de uma abordagem integrativa por clínico geral e de um checkup físico, encontrou novos amigos em uma rede de suporte. Aprendeu a identificar seus pensamentos conflitivos, processou eventos traumáticos e desenvolveu seu autoconhecimento e sua autoestima, sentindo-se mais integrada.


A NOSSA MENTE E PSIQUE


A mente humana registra as experiências vividas ao longo da vida, e estas nortearão ações futuras. Por este princípio, nossa mente admite como realidade única tudo que experimentamos. Quando ficamos lembrando de nossas dores, o que nos fez ou faz sofrer, temos a tendência a repetir o que nos causou ou nos causa sofrimento. Sem perceber reeditamos os cenários causadores de dor e tristeza, nos privando de uma vida com melhor qualidade, gerando, inclusive, problemas de saúde. Como isto ocorre? As doenças e as dores podem atuar como uma função no quadro geral de sofrimento psíquico, manifestadas no “aparelho físico”. A mente habitua-se com o que assimilou ao longo de suas experiências, acostuma-se com a doença, como caminho para a expressão da dor psíquica não-resolvida.

Mas como sair disso? A mente se apega ao que está habituada, então, devemos nos desapegar às ilusões do que criamos, nos recusando a experimentar o diferente, o novo. A transformação consiste na coragem de olhar para as nossas sombras, rever conflitos mal resolvidos, dores promovendo a auto aceitação, o amor próprio e autocompaixão, e com isso procurar resolvê-los e/ou entendê-los. Com a prática do autoconhecimento, conseguiremos observar a qualidade de nossos pensamentos. Nesse processo, conscientizamo-nos de que, por vezes, nossas ações não condizem com nossos valores e sonhos, gerando estados emocionais negativos, e essa conscientização é o início das mudanças. Somos seres geradores de energias através de nossas emoções ao longo de nossos dias, então, se tivermos pensamentos e emoções negativos, as energias de nossa vida serão também negativas. Mas se, pelo contrário, gerarmos boas energias, sermos positivos, começaremos a ter melhores resultados ao nosso redor.

Quando vibramos amor, a vida se torna mais leve e alegre. Quando estamos alegres, nos conectamos com as boas energias, o que nos conecta com o nosso ser e nos sentiremos completos, serenos. Ao atingirmos a paz interior, vivemos um estado de iluminação e expansão. A nossa gratidão, o nosso estado de luz, expandem e vencem limites. Assim, as coisas que queremos realizar acontecem prontamente. A nossa mente otimista encontra sempre soluções inteligentes.

Ao longo de nossa jornada de vida e evolução pessoal, é importante reconhecer nossos pequenos progressos. Se progredimos pouco, não há razão para nenhum desespero. É importante reconhecer que grandes mudanças ocorrem aos poucos. Afinal, a vida é um grande aprendizado.

Estamos novos, “novo ano”, mais uma oportunidade par repensarmos todos os aspectos de nossa vida: rever atitudes e comportamentos que não foram tão bons; perceber como “funcionei”, privilegiando atitudes que não promoveram êxito, alegria ou estabilidade mental; avaliar coisas que fizemos que me distanciaram de pessoas queridas e que não me fizeram tão feliz; etc. Após essa avaliação, escolhemos mudar. As transformações são possíveis quando decidimos pelo desapego de comportamentos que não funcionam mais.

Nesse balanço precisamos identificar nossas qualidades, talentos, valores e os contravalores nas interações interpessoais e olhar de forma positiva, conscientizar-se e decidir que tudo vai melhorar, se agirmos.

A busca do equilíbrio entre doar e receber, nos ajuda a alcançar o balanço das nossas emoções. Aprender a nos nutrir emocionalmente de forma positiva faz parte do nosso bem-estar emocional e mental. E se queremos promover mudanças, em qualquer lugar ou relação, comecemos por nós mesmos. Neste Ano Novo, aprendamos a elevar o nosso amor próprio, a criar o hábito de amar, a si mesmo e aos demais; aprendamos a realçar os valores do outro e o nosso. Urge que usemos nossa inteligência sendo necessários ao progresso, à ordem, à paz e ao crescimento.


SUGESTÕES PARA 2020


  1. Somos o nosso principal empreendimento. Invista em você com autoconhecimento, visando o bem-estar acima de qualquer coisa. Mire o desenvolvimento pessoal com qualidade a partir da mente sadia e equilíbrio emocional.
  2. Nas interações sociais, não mantenha vínculos que não sejam bons pra você e nem para os outros. Não existe felicidade do um. Nós, como pessoas, precisamos somar e atender a nosso desejo e sonho de contracenar em cenário rico de luz, de harmonia onde sejamos artistas da paz.
  3. Vivemos o universo do único, ninguém é igual a outro. Importante exigir menos em nosso convívio, termos menos expectativas quanto ao outro, para desenvolvermos harmonia. Nem eu, nem ninguém será tão bom ou tão ruim como o outro quer ou pensa.
  4. Qualquer perturbação que sobrevier em sua mente, de ordem psíquica ou associada à desconfiança, pode ser um erro de interpretação da realidade. Pare, interrompa tudo, ponha a cabeça no lugar! Mantenha os pés no chão, observe a respiração! Com calma, reflita em seu estado de consciência. Nem sempre as conjecturas e especulações em nossa mente relatam a realidade.
  5. O nosso corpo guarda analogias com o sistema digestório, processa tudo o que recebe. Assim, os pensamentos alimentam o sistema que responde de acordo com a qualidade da matéria recebida, das coisas processadas. É preciso cuidar da qualidade dos pensamentos, o conteúdo das ideias elaboradas.
  6. Observe sua alimentação, privilegiando o “good health food”. Prefira alimentos naturais, que tenham menos intervenção humana na sua qualidade. E junto a isto, se exercite! Movimento é vida. O corpo inteiro agradece.
  7. Busque o hábito da leitura. Eleja um livro para começar o ano de 2020. Morando em outro país, é importante aprender novas habilidades e aprender aspectos da nova cultura. Ajuste os horários do schedule e nele caberá o livro. O espírito precisa ser nutrido de bom alimento.
  8. Tire o pé do acelerador, aprenda a relaxar, não tenha uma vida tão corrida. Veja e sinta as pessoas de seu convívio. Dê seu apreço, seu amor, seu carinho às pessoas e zele pelas coisas, momentos e ocasiões que lhe são agradáveis. A vida é também sentir.
  9. Não acredite no rótulo que, porventura, outra pessoa lhe atribua. Somos o que a ordem superior nos concede. Viva essencialmente o sonho de paz apesar de tudo. O nosso destino é a felicidade que buscamos.
  10. O silêncio não erra. Observe o seu redor silenciosamente. Mas cale principalmente a conversinha interior. Ouvir mais é um bom princípio. Ouça a sua intuição sempre: há uma voz interior que teima em não calar e temos ouvidos moucos. A intuição tem radares e faróis que nos indicam caminhos em nossa vida.
  11. Reserve tempo para si, para ser sua própria companhia. Medite, reflita sobre si somente. Sinta como é bom estar com você, seja seu único compromisso. É um bom momento para observar seu crescimento, contemplar suas vitórias, rever seu calendário e seus planos, e entender seus desejos e sonhos. Tome posse de seu projeto: você é seu patrimônio.

Feliz e próspero 2020!



Dra. Erica Carretero
Psicóloga na Art Of Healing Atlanta-Clinic
www.artofhealinginc.com
Phone: (404) 355-1662

Last Updated on Friday, 17 January 2020 13:16
 
« StartPrev123NextEnd »

Page 1 of 3

Translate

Portuguese English Spanish