Home Bem estar
Saúde e Bem Estar | AUTOESTIMA E AUTOCONCEITO
Thursday, 13 February 2020 00:00


Por definição, autoestima é uma das partes fundamentais para nossa saúde mental. Define-se por ser parte da identidade pessoal, senso de valor próprio e o reconhecimento das nossas qualidades e talentos. Quando uma pessoa se percebe com uma baixa estima, ela tende a se esforçar para dispor de qualidades extras e superar seu sentimento de inferioridade perante os demais e a si mesma.

Observo que a maioria dos pacientes com alguma desordem mental que recebo possui a autoestima é afetada. Por isso, uma das metas do nosso tratamento é trabalhar para aumentar a estima, o amor próprio e o autoconceito, tudo com conscientização do reconhecimento dos talentos pessoais, das qualidades, bem como das partes imperfeitas, inerentes do ser humano, que precisam ser aceitas. Isto alivia tensões e tende a criar um autoconceito mais positivo.

A literatura na área mostra que baixa estima está associada com várias desordens mentais, como depressão, ansiedade, tendências suicidas, problemas com a imagem corporal, desordens alimentares, violência, adições e até mesmo comportamento de risco, e até retira o estímulo para as mudanças necessárias durante o processo terapêutico. Infelizmente muitas vezes a tendência é apontar o que não está correto e exigir a melhoria e a perfeição, mas é fundamental ajudar o paciente a reconhecer seu próprio valor. Com autoestima saudável, há mais saúde física, mental e mais socialização.


QUANDO SE INICIA A FORMAÇÃO DA AUTOESTIMA?


A autoestima se inicia na infância e se desenvolve no decorrer da vida. A qualidade da relação e da forma com que a criança é tratada e a qualidade deste convívio serão parte da fundação da autoestima. Uma criança que se sente aprovada pelos companheiros e familiares estará apta a reconhecer suas qualidades e competências no decorrer do seu desenvolvimento. Pais que aplicam uma educação autoritária e rígida, com pouco ou raro apreço aos aspectos positivos da criança, contribuirão para a baixa estima e um autoconceito negativo nessa criança em desenvolvimento. As crianças inicialmente aprendem sobre si mesmas através da forma com que são tratadas, amadas e respeitadas. Ambiente com descuido e falta de atenção materna, mães depressivas, maus tratos, violência doméstica, constantes feedback negativos vindo das pessoas amadas, ambientes conflituosos e de discórdia, tudo isto leva um pobre autoconceito e autodesvalorização.

Altas expectativas dos pais quanto ao seu desempenho e perfeição dos filhos também podem colaborar para a formação de um sentimento de inferioridade e baixa estima nas crianças, o que pode gerar, inclusive, depressão.


AUTOESTIMA E AUTOIMAGEM


A obsessão pela imagem corporal “perfeita” não conquistada se caracteriza por baixa estima. A pessoa busca a constante perfeição do seu corpo e até se sujeita a cirurgias plásticas, constante tratamentos de beleza e mesmo assim nunca está satisfeito com sua autoimagem. Devido a esta fixação nas imperfeições corporais, nunca haverá uma satisfação da imagem corporal e do autoconceito. Crianças que cresceram em ambientes onde foram criticadas pela sua aparência física tendem a desenvolver esta condição.


BENEFÍCIOS DA AUTOESTIMA


Os problemas crônicos de saúde são mais bem administrados pelos pacientes com autoestima saudável. Eles demonstraram ter mais facilidade de recuperar-se, pois sentem-se mais seguras e autoconfiantes. A satisfação no trabalho e o bom desempenho acadêmico estão ligados a uma autoestima e autoconceito positivo. As crianças com uma boa autoestima aprendem com mais facilidade, se sentem mais confiantes e acreditam que podem ter sucesso escolar.


CONSEQUÊNCIAS DA BAIXA ESTIMA E DESORDENS MENTAIS


A baixa estima é encontrada em pacientes com profunda depressão, distúrbios alimentares, desordem de ansiedade, desordem de personalidade, predisposição desordem mentais, comportamentos de risco, tais como: pouco cuidado com o corpo, constante troca de parceiros sexuais sem proteção apropriada, abuso de substâncias tóxicas e dirigir alcoolizadas. A baixa estima colabora para a falta de autoconfiança, inabilidade de resolver questões da vida diária, desânimo, desesperança que, se não tratados, resultam na deterioração física e mental. Estudos mostram que quanto mais baixa a autoestima maior a tendência a depressão.


VANTAGENS DE UMA AUTOESTIMA SAUDÁVEL


As pessoas com autoestima saudável: são mais felizes, ficam de bem com a vida, têm mais espontaneidade, mais flexibilidade nas adversidades da vida, mais facilidade em perdoar-se, ajustam-se com mais facilidade, acreditam no seu sucesso , são mais satisfeitas em vários setores da vida, são sexualmente mais felizes com mais prazer, manejam estresse de uma forma saudável, recuperação física mais rápida, aumentam as faculdades cognitivas, possuem maior capacidade de realizar os objetivos pessoais, melhoram o desempenho acadêmico, têm bem-estar e autoaceitação.


As pessoas que mantém um pensamento positivo a respeito de si mesmo conseguem manter níveis de estresse mais baixos. A autoestima pode ser vista como um fator motivacional que nos influencia positivamente e nos ajuda a administrar nosso comportamento.


É importante observar se seu nível de autocrítica é além do necessário, se raras vezes está feliz consigo, com seu corpo e se há tendência a criar imagens mentais negativas a seu respeito, muito desânimo e pessimismo. Se você percebe isso, é importante rever esses pensamentos e questioná-los se são realmente verdadeiros. Nossa mente pode criar cenários e situações nem sempre verdadeiras, até mesmo com relação ao nosso autoconceito e nossa autopercepção. Por isso, às vezes, é muito bom pedir uma opinião externa e olhar as situações por outro ângulo. Pense nisso!



Dra. Erica Carretero
Psicóloga na Art Of Healing Atlanta-Clinic
www.artofhealinginc.com
Phone: (404) 355-1662

Last Updated on Thursday, 13 February 2020 14:06
 
« StartPrev123NextEnd »

Page 1 of 3

Translate

Portuguese English Spanish